Renovação de Técnicos Especializados

 

Na sequência de despacho da Senhora Secretária de Estado Adjunta e da Educação, exarado a 13 de agosto de 2019, comunica-se que será operacionalizada, no âmbito do ano letivo de 2019/2020, a celebração ou renovação de contratos de formadores e técnicos especializados, nas áreas de natureza profissional, tecnológica, vocacional ou artística dos ensinos básico e secundário, estando abrangidas as situações dos trabalhadores que atingiram os três anos de contrato ou duas renovações.

Neste sentido, serão iniciadas, nos próximos dias, as diligências necessárias à formação dos contratos/renovações em apreço.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/08/renovacao-de-tecnicos-especializados/

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Benvinda Branquinho on 14 de Agosto de 2019 at 12:16
    • Responder

    Todos os técnicos especializados sabem nos grupos de recrutamento dos professores profissionalizados. Obrigaram-nos, a mim e a muitos outros, a fazer a profissionalização , gastamos um boa quantidade de dinheiro que nos fazia falta para a nossa vida diária e agora somos ultrapassados por pessoas que nunca gastaram tempo nem dinheiro.
    Em 2007 inventaram a profissionalização e deixaram-nos fora do concurso nacional em horários de merda, tirando-nos dinheiro e tempo de serviço e agora voltam ao mesmo. Agora, já não é preciso profissionalização outra vez.
    Estamos bem servidos com os imbecis que têm governado Portugal.
    Fraudes atrás de fraudes. E ninguém diz nada.
    É como a fuga das empresas dos motoristas à Segurança Social . Ninguém vê isso ? As empresas enchem por lá o bolso dos políticos para patrocinar a campanhas eleitorais, pergunto eu .

    • Benvinda Branquinho on 14 de Agosto de 2019 at 12:18
    • Responder

    Digo, Todos os grupos de recrutamento cabem….

    • Alexandra Atanásio on 14 de Agosto de 2019 at 21:37
    • Responder

    Benvinda Branquinho, tem alguma razão, mas não toda. Há docentes que são contratados como Técnicos Especializados porque essa é a única forma de ter trabalho apesar de serem profissionalizados. Estes docentes agora tratados, juridicamente como Técnicos Especializados (TE) ganham pelo índice 151 contrariamente aos seus colegas docentes que ganham pelo índice 167 e fazem exactamente o mesmo serviço, e até ao momento está-lhes vedada a efectivação por esta via. Muitos deles poderão ter mais formação que os colegas não TE, como por exemplo um bacharelato, uma especialização técnica superior, duas licenciaturas e um mestrado, que não saíram de graça e representaram um grande sacrifício pessoal, familiar e da vida social.
    Também os TE tem de se sujeitar a horários de merda de 5 horas, 11 horas, a 100 km ou 200 km de casa.
    Os TE passam o seu mês de férias, Agosto a verificar as ofertas de escola, a responder a essas ofertas, a reformular o portefólio exigido por cada escola, verificar na página de cada escola quando é marcada a entrevista, estar atento ao email, para nenhuma convocatória passar ao lado, telefonar para as escolas quando as informações não estão disponíveis e acessíveis, e por fim ir às entrevistas marcadas, se possível a todas, nem que sejam 3 no mesmo dia, fazer 1700 Km por semana da Povoa do Varzim a Sines, porque Chaves e Évora já ficam muito longe. Somos mesmo uns privilegiados.

      • Benvinda Branquinho on 14 de Agosto de 2019 at 22:39
      • Responder

      Alexandra Atanásio, a mim parece-me que desta vez eu até tenho a razão toda. Não querem é pagar às pessoas o justo valor do seu trabalho entre outras suspeitas piores. Esses Técnicos são Professores que deveriam ser pagos pelo índice 167 e não deveriam estar sujeitos às humilhações que referiu e que todos sabemos que são verdade dura e pura. Faltou-lhe acrescentar que muitos desses horários já tem um destinatário pré-destinado , o que significa que muitas vezes ainda fazem das pessoas parvas.

    • Alexandra Atanásio on 14 de Agosto de 2019 at 23:58
    • Responder

    Sabe, não gosto de generalizações, e normalmente só falo do que conheço. E como não tenho nem nunca tive padrinhos e o pouco que conquistei foi à minha custa e saiu-me bem caro. E o seu discurso começou com um ataque a colegas seus, não gosto de expressões com “todos os técnicos especializados” … “nunca gastaram tempo nem dinheiro” e mais uma vez caiu no exagero quando afirma que “muitos desses horários têm um destinatário pré-destinado” quando poderia utilizar o termo alguns desses horários, e ai poderia até concordar consigo, pondo de lado alguns pressupostos.
    Mas apresentou como culpados desta situação, primeiramente os seus colegas, que são o elo mais fraco, e ao fazer isso na minha humilde opinião perde toda a razão.

    • Jacinta Dantas on 17 de Agosto de 2019 at 1:09
    • Responder

    Desculpem-me, mas aqui a esta parte já não há exageros! Infelizmente já vi de tudo o que foi dito – atingiu-se o “ambiente” ótimo para a corrupção prosperar , seja por compadrio, “clubismo político” ou até por amor (leia-se reconduções/admissões pelo plano horizontal) …

    É a gestão (da educação) à portuguesa no seu melhor , não acham?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog