Quem quer ser Diretor?…

 

Nos últimos tempos têm vindo a publico algumas situações envolvendo Diretores. Muitas são as queixas que nos chegam sobre alguns Diretores que nos fazem lembrar a imagem do “Reitor”.

Na Escola Pública temos de tudo. O ex Diretor de Montalegre vai ser julgado por abuso de poder. Na Amadora um Diretor é acusado de ter agredido um colega. Sim, colega. Um Diretor não deixa de ser professor só por ter sido nomeado para um cargo de direção.

No Ensino Particular os casos também existem. O grupo GPS está sob fogo por haver suspeitas de “esbanjamento” de dinheiro. Mas a maioria passa-nos ao lado, porque nunca chegam aos média ou são abafados internamente.

O caso em baixo é mais um caso que julgamos estranho. Parece que além de falta de professores vamos passar a ter falta de Diretores…

 

Quem não se lembra do artigo sobre “O estranho caso da fuga de professores dos Jardins – Escola João de Deus – Reflexão!“?

Pois bem, como tudo continua na mesma, começa  a haver a necessidade de terem de “implorar” para que alguém aceite, imagine-se, ser diretor do Jardim – Escola de Ponte de Sôr!

Pois é, ao que a arrogância ou má gestão nos leva!

Leia e pasme-se com o comunicado que nos chegou ao blog!

Download do documento (PDF, 442KB)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/07/quem-quer-ser-diretor/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Paulo Anjo Santos on 17 de Julho de 2019 at 14:12
    • Responder

    No ano passado a diretora da escola onde estive esqueceu-se de me informar de alterações ao meu periodo de férias. Como consequência disso estive 20 dias desempregado sem receber subsídio de desemprego, porque pensava que ainda estava ao serviço (e fui mesmo a reuniões de trabalho nesse período). Não só a diretora não assumiu o erro (ao contrário da sra da secretaria que me ligou a pedir desculpas) como ainda me tratou de uma forma inqualificável. Reclamações para a DGAE e IGF deram em nada. Ainda pensei levar a coisa a tribunal mas os valores em causa e o facto de só ter tido no passado uma única e má experiência com tribunais, fez-me ficar quieto, mas essa senhora merecia uma lição…. aliás, os contratados são muitas vezes bastante mal tratados, só estão a li um ano, às vezes vale quase tudo… sendo certo que também são muitas vezes bem tratados, acho é que o deveriam ser sempre!

      • Ave Rara on 17 de Julho de 2019 at 15:11
      • Responder

      .
      é só mediocridade
      .

        • Paulo Anjo Santos on 17 de Julho de 2019 at 17:04
        • Responder

        Já agora, a escola de que falo é a Pedro Eanes Lobato, na Amora! Para o caso de alguém ir lá parar…

    • Ave Rara on 17 de Julho de 2019 at 15:10
    • Responder

    .
    Começaria por dizer que não faltam professores com a formação em Gestão Escolar e, por isso, habilitados a ocuparem o cargo de Diretor (por 4 anos) em qualquer Agrupamento Escolar.
    Esta formação em “gestão escolar” em muitos casos foi obtida em ações de formação, de mês e meio, em Sindicatos, ficando os formandos habilitados para o exercício do cargo. Há outros casos em que esta habilitação foi adquirida através de um mestrado em “gestão escolar” e, até, doutoramento (da treta) em “gestão escolar”.
    Acrescente-se que os Diretores, no desempenho dessa função, possuem um Suplemento Remuneratório entre os 300 e os 750 Euros mensais (vezes 11 meses) o que, nos tempos que correm, é Apetecível.
    Concluindo os Diretores de agrupamento são PROFESSORES que, momentaneamente, desempenham a função.
    Antes de passar a casos concretos para se poder ver o nível daqueles que desempenham a função de diretor é bom que se diga que a esmagadora maioria desta gente é de uma Mediocridade Atroz desconhecendo procedimentos básicos o que os leva a estarem permanentemente a ligar para a DGAE e para a DGEST a pedir que os esclareçam.
    Observemos agora alguns casos elucidativos da atuação desta gente que dá pelo nome de sinhora diretora…

    DIAP investiga venda de toneladas de equipamento de uma escola do Porto a sucata
    https://www.publico.pt/2014/06/13/sociedade/noticia/diap-investiga-venda-de-toneladas-de-equipamento-de-uma-escola-do-porto-a-sucata-1639726

    Venda de toneladas de equipamento de uma escola do Porto a sucata sob investigação
    https://www.publico.pt/2014/06/10/sociedade/noticia/venda-de-toneladas-de-equipamento-de-uma-escola-do-porto-a-sucata-sob-investigacao-1639343

    Património escolar do Estado vendido sem autorização
    https://www.noticiasaominuto.com/pais/244939/patrimonio-escolar-do-estado-vendido-sem-autorizacao

    Professora acusa diretor de assédio
    Cansada do alegado assédio e difamação do diretor da Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento de Vagos, João Queiroz Pinto, Teresa Valente, docente do polo de bovinos, apresentou uma queixa no Ministério Público (MP) e denunciou a situação à Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.
    https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/professora-acusa-diretor-de-assedio

    .


  1. Só não há mais denúncias… por medo.
    Até porque a igec protege-os. Vergonhoso. Salazarento.

    • Docente em Exercicio on 17 de Julho de 2019 at 22:53
    • Responder

    Haver denúncias há, mas não dão em nada. Só quando se usarem outras vias é que o vão perceber e aí talvez passem a tratar dos assuntos dignamente… É uma questão de tempo… Se há Diretores atentos e com excelente liderança, outros há que deveriam fazer umas formações ao nível das interações e relações humanas para aprenderem a lidar com pessoas e, sobretudo saberem ouvir e resolver problemas em vez de os criarem. A falta de respeito é tremenda, em muitas situações vergonhosa! Tudo vai até um dia…

    • Paulo Anjo Santos on 17 de Julho de 2019 at 23:32
    • Responder

    Os sindicatos podiam resolver grande parte destes problemas, bastava levar algumas situações a tribunal e isso serviria para centenas ou milhares de outras não acontecerem. Será porque a maioria dos contratados não é sindicalizado e isso não lhe interessa muito?!
    Por exemplo, alguém me explica porque é que os contratados não têm direito à redução de tempos letivos com a idade? Ou melhor, aparentemente em poucos casos têm mas na grande maioria não têm?! Tenho uma colega que anda há dois anos com os sindicatos a tentar que lhe seja atribuída essa redução, mas não consegue. Mas, segundo ela, as respostas do ministério não dizem onde está escrito que os contratados não têm direito, apenas dizem que só os do quadro têm, mas no ECD está escrito que ele é válido para todos os docentes, inclusive os que estão a tempo parcial. Não bastaria ao sindicato levar duas ou três situações destas a tribunal e resolver o assunto de milhares?


  2. “Diretores com excelente liderança”, onde????
    Quero concorrer para lá!
    Conheço vários, todos iguais. Sempre a procurar prejudicar e perseguir os professores. Parece que é a forma de terem a proteção da tutela e garantia do lugar.
    Ditadores.

    • josé on 18 de Julho de 2019 at 11:38
    • Responder

    Alguns Diretores esquecem que já foram professores. Eu gostava que voltassem a dar aulas. Ia ser bonito

    • No name on 19 de Julho de 2019 at 16:11
    • Responder

    Têm memória curta…esquecem que já foram não..que SÃO PROFESSORES!
    Felizmente conheço alguns que não fazem parte desta “estirpe”.


  3. Obriguem os diretores a darem aulas e metade da burrocracia acaba.
    A maioria deles além da gratificação e uma pipa de massa em ajudas de custo, simplesmente não querem dar aulas.


    1. Ajudas de custo??? Ao diretores?? Onde ouviu isso? Deveria ser proibido escrever estas idiotices. Trabalham numa escola e não sabem nada do que lá se passa, porque não se calam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog