É Cada Vez Mais Visível a Escassez de Professores

Com a publicação das listas de ordenação definitivas ao concurso externo, no passado dia 6 de junho, já podemos comparar os números dessa lista com a de anos anteriores e verifica-se o seguinte:

  • O ano de 2019/2020 é onde existem menos candidaturas de professores contratados (51.059);
  • O ano de 2019/2020 é onde existem menos candidaturas de professores a concorrer em 2.ª prioridade (27.806);
  • Pela primeira vez que tenho memória o número de candidatos ao 1.º ciclo quase fica abaixo dos 10.000. (10.025);

Ficam aqui os dados das listas definitivas do concurso externo desde 2016/2017 até 2019/2020, por grupo de recrutamento e por prioridade.

Se houve falta de professores em 2018/2019 em determindados grupos de recrutamento e zonas do pais, aponto que para 2019/2020 esse problema se agrave ainda mais.

Para ver em formato pdf clicar na imagem.

 

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/06/e-cada-vez-mais-visivel-a-escassez-de-professores/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,


  1. 50000 excedentários não me parece mostrar que há professores a mais! Ainda há um possível contratado para quase dois professores…

    Além disso, não vejo os cursos que formam (mal) professores vazios.

    Isto só mostra que as pessoas têm que comer, pagar contas e procuram outros tipos de rendimento. Quando existirem vagas anuais voltam novamente, porque a esmagadora maioria dos cursos não habilita os seus detentores de mais competências que fazer trabalhos pouco habilitados ou ser professor.

    Além disso só se verifica falta de professores em Lisboa e em horários temporários! Onde é mais vantajoso financeiramente ser funcionário numa caixa registradora que nessas vagas… Se as vagas fossem anuais ou ao lado das nossas casas, nas regiões onde há mais professores (norte) nunca ficavam vazias.

    O real problema da nossa classe é a facilidade em aceder à profissão. Um curso qualquer e uma profissionalização basta para entrar no sistema. Isto faz com que haja poucas habilitações na classe e a facilidade em o governo baixar a nossa remuneração.

    Por exemplo, professores de educação física a dar aulas nas primárias ou básicas é às toneladas!

    Às vezes vejo colegas a comparar-se a médicos, trabalhadores das finanças ou magistrados! É estúpido porque essas classes dão lucro, são rentáveis e com muitas habilitações. Os professores deixaram tornar-se numa classe pouco habilitada e não criam qualquer riqueza, a não ser aquele chavão de formar o futuro e as novas gerações. É tão estúpido como a maioria ainda viver no passado em termos de pedagogias e métodos de ensino, baseados em exposições e preparações de alunos para exames. São incapazes de sair das suas turminhas, manuais e métodos.

    Os verdadeiros problemas, para mim, são o envelhecimento da classe, o pouco rendimento e a baixa qualificação dos docentes! Isso sim, são 3 preocupações que deveriam ser aprofundadas.

    A falta de professores em Portugal nunca acontecerá porque simplesmente quando forem necessários aparecerão centenas de recém licenciados em cursos da treta para as o ocupar porque ganhar 1000€ com um curso em ensino numa escola superior qualquer é o máximo que muitos aspiram alcançar na vida!

      • Ave Rara on 10 de Junho de 2019 at 0:55
      • Responder

      .
      Concordo plenamente.

      Não existe “falta de professores”…..o que, de facto, se verifica é EXCESSO DE PROFESSORES principalmente “professores primários” , “educadoras” e professores de ginástica……destes grupos é professores aos montes……
      .

    • Alex on 10 de Junho de 2019 at 10:09
    • Responder

    Na minha opinião, não vejo que haja ou venha a haver falta de professores, muito pelo contrário.

    • Pedro on 10 de Junho de 2019 at 22:25
    • Responder

    Sº Pois,
    As preocupações que deveram ser aprofundadas é a qualificação e educação dos pais, que anda muito escassa.

    • Rui Filipe on 11 de Junho de 2019 at 19:19
    • Responder

    Há gentinha que escreve aqui, que se vê logo que não são professores.
    Devem ser comentadores frustrados da bola, pobres coitados.
    Então, não sabem a crise que graça por essa Europa fora, no que toca a professores. É já há muito tempo.Na Inglaterra, na Holanda, na Alemanha, etc.
    Se calhar, é mentira que só 1% dos jovens portugueses , é
    que pensam em ser professores.
    Realmente, com tanta ignorância não podemos ir muito longe.
    Deixo uma sugestão, exportar essa gentinha, pode ser que fiquemos melhores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog