Aprende a ler melhor pelo método das regentes escolares – José Baptista

 

Aprende a ler melhor pelo método das regentes escolares

Eu conheci um ministro, não é pra todos, que dizia que muitos professores ensinavam as maiores barbaridades com a maior eficácia pedagógica. E tinha razão. Foi um método inventado porque os psicólogos e os psiquiatras passavam por graves crises e era preciso garantir-lhes clientela abundante que não funcionasse bem dos brains. E resultou.
Eu não sou desta escola, eu nasci num tempo e lugar em que os professores nos faziam aprender bem as coisas boas prá vida. Foi a acomodação perfeita do conhecimento científico nos neurónios bem aparafusadinhos em sinapses perfeitas. Foi nesta fornada que eu entrei e vejam como esta cabecinha funciona bem, aqui cientificamente comprovado.
Não vou explanar mais metodologias, que as há, sobretudo a de ensinar os saberes de qualidade da maneira mais desastrada, também alimento para psiquiatra e psicólogo, grandes cunhas devem ter pra tamanha cortesia e abundante clientela.
Mas agora vamos ao âmago da história, ao clímax da novela, como preferirem. Chão da Vã, podem ver no mapa, é um lugar nas margens da Ribeira do Tripeiro, não invento, e pertencia à freguesia de Juncal do Campo, a minha, hoje metida para aí num emaranhado de agrupamentos que eu tenho de me matricular num curso superior por medida pra ver se entendo. É que a minha cabeça, já ficou provado, funciona bem, já dos agrupamentos não posso garantir o mesmo.
Pois nesse belo lugar de Chão da Vã espelhado nas águas da Ribeira havia alunos em idade de ensino primário, não havia era professora, só cinco alunos, não dava nesse tempo. Mas encontrou-se a solução pedagógica perfeita, prevista na lei e tudo, para ensinar bem a coisa certa: uma regente escolar, já ouviram falar? Um ícone do regime. Era uma pessoa idónea, de preferência que soubesse ler e contar, para os ensinamentos básicos às criancinhas em idade escolar. E foi escolhida a pessoa certíssima. Tratou de arranjar o livro de leitura e logo ordenou o ambiente para as aprendizagens de qualidade, ela sentada numa cadeira, e as crianças como pintainhos à volta da mãe, sentadas em tropeços ou cepos de árvore cortados à medida das crianças. Mais fofinho só a pedra de granito bruto!
E começa aqui a boa pedagogia de ensinar bem a coisa errada, ou de ensinar mal a coisa certa, ou ainda de ensinar mal a coisa errada, já nem sei pra onde me volte. A Senhora regente, dispondo de apenas um livro, que compartilhou com os alunos, colocou-o firme no seu colo e dispôs as criancinhas à sua frente viradas para si e para o livro. O resultado foi espetacular, as crianças aprenderam todas a ler bem, mas com o livro de pernas para o ar. É aqui que sofro com as limitações do meu entendimento.
Eu, pedagogo profissional de meia tigela, nunca teria a capacidade para inventar este método, com esta eficácia, e nunca teria produzido esta espécie de trapezistas da leitura, os únicos que leem da direita para a esquerda e com as letras de pantanas. Simbiose perfeita.
Inventei? Oh, eu não invento nada, eu só conto, mas conheci pessoalmente o Senhor Inspetor que testemunhou ao vivo esta maravilha de escola. Foi pai de um grande amigo e só por isso não revelo o nome. Mas o espanto que nos causou esta situação real, descoberta da natureza a funcionar espontaneamente! Ciência pura!

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/06/aprende-a-ler-melhor-pelo-metodo-das-regentes-escolares-jose-baptista/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog