Religião e Moral em declínio na Escola Pública

Uma tendência que põe muitos docentes em causa.

Menos de um quinto dos alunos inscritos em Religião e Moral

Este ano letivo estão inscritos em Educação Moral e Religiosa 183 429 alunos do 1.º ao 12.º ano. São menos 8308 do que no ano passado e quase menos 82 mil do que em 2010/2011, quando estavam matriculados 265 372.

Rui Cardoso

Latest posts by Rui Cardoso (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/04/religiao-e-moral-em-declinio-na-escola-publica/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Lurdinhas on 20 de Abril de 2019 at 16:21
    • Responder

    Se a disciplina se chamasse apenas”Educação Moral e Religiosa” talvez tivesse mais alunos.
    Claro que o programa teria de ser reconvertido.

      • Orlando Marques on 20 de Abril de 2019 at 16:32
      • Responder

      Só se for porque as pessoas são preconceituosas… de resto, atendendo ao que é de facto o ensino religioso, às raizes e cultura católicas do nosso país, e à base fundamento desta disciplina, este argumento é banal e sem qualquer utilidade… aliás, como sabe, também as outras confissões cristãs têm a sua disciplina.

    • Orlando Marques on 20 de Abril de 2019 at 16:26
    • Responder

    Não sei qual o objetivo deste post…
    Mas entretanto convinha que dissesse quantos alunos havia no total em 2010/11 e em 2017/18, e quantos havia em cursos profissionais nesses anos e quantos há agora, para efetivamente poder comparar com honestidade…
    Santa Páscoa para todos os colegas!

    • Anónimo on 20 de Abril de 2019 at 17:03
    • Responder

    O objetivo é denegrir a disciplina. Aliás se ela não existisse, havia muita gente ficar contente. E apesar de haver menos alunos inscritos, segundo o post, mesmo assim ainda há escola em que os horários de moral não são ocupados, porque não há professores de moral suficientes.


    1. Anónimo on 20 de Abril de 2019 at 17:03 por acaso conhece as “regras” para se poder concorrer?
      É que o crivo é apertado ao que julgo. Pouca gente cursou teologia. Mas aposto que muitos ateus fariam boa figura nessas aulas….

        • Anónimo on 20 de Abril de 2019 at 17:54
        • Responder

        Tem que fazer o curso na Universidade Católica. E acha que os professores que são católicos não fazem boa figura? Sabem criticar as aulas de Moral, mas se estas lhe dessem emprego, mesmo sendo ateus, já não se importavam de as lecionar! Enfim, sem comentários. Mas se está interessado, informe-se e candidate-se! Vai ver como são excelentes as condições. Os requisitos não são nenhum segredo de Estado.

    • Nuno Barata on 21 de Abril de 2019 at 9:28
    • Responder

    Qualquer professor pode lecionar EMRC desde que seja profissionalizado em qualquer grupo de recrutamento e faça um complemento de formação na Universidade Católica de 2 anos. As propinas são caras e a exigência muita. Mas como são poucos os que têm o curso, ainda há muita gente a lecionar a disciplina com autorização do bispo da diocese a que pertence a escola onde quer exercer funções. O bispo tem de atestar a idoneidade.

      • Anónimo on 21 de Abril de 2019 at 11:14
      • Responder

      Nuno Barata, hoje em dia já há muitos professores profissionalizados em EMRC. Os que ainda não o são só podem concorrer em Oferta de Escola. E não podia concordar mais com o seu segundo comentário. E eu queria ver, se fosse uma disciplina das teóricas (Inglês, Matemática, Português, Ciências, etc.) que fosse opcional e que a alternativa a essa opção fosse uma hora livre, o que é que os alunos escolheriam?

    • Nuno Costa on 21 de Abril de 2019 at 9:32
    • Responder

    O declínio das inscrições em EMRC tem a ver sobretudo com os valores, a religião e a moral dos alunos de hoje e sobretudo com os valores, a religião e a moral dos pais. Se houvesse uma disciplina que ensinasse a ser mal educado, violento, indisciplinado, desinteressado, baldas, fumar ganzas, comer gajas(os), ouvir música e beber umas jolas com toda a certeza que 100% dos alunos estariam inscritos.


  1. E se um professor do quadro, grupo de recrutamento de EMRC, certo dia acordasse descrente? Qual a situação profissional em que ficava, uma vez que é do quadro? Poderia continuar, caso declarasse que respeitaria e cumpriria a leccionação dos conteúdos? Ou o bispo tem poder para despedir um professor, mesmo sendo do quadro, fruto da sua situação pessoal? E, mesmo continuando crente no catolicismo, caso se divorcie? Mistério….

      • Anónimo on 21 de Abril de 2019 at 21:47
      • Responder

      E pergunto eu, que é que isso tem a ver com o artigo em questão? Ou o seu objetivo é apenas denegrir a Igreja e os professores de EMRC, porque isso está em moda?

    • Borgia on 22 de Abril de 2019 at 15:51
    • Responder

    Ser católico apostólico romano é ser-se hipocrita e sem valores morais. Todos os valores dessa religião são apenas “aparências”, para não dizer outra coisa.

    Concordo a disciplina deveria de mudar de nome e de programa.
    É só estúpido ainda existir nos atuais moldes.

      • Anónimo on 22 de Abril de 2019 at 17:47
      • Responder

      Ai é, Borgia?!

      Então explique-me la porquê? É que isso são afirmações graves. E ter a sua opinião, é um direito que lhe assiste, agora afrontar os outros que têm direito a ter a sua religião e ofender?! Parece-me que quem não sabe o que significa a palavra respeito é o Borgia. Criticar os outos é muito fácil, agora acusar os outros sem se olhar ao espelho é outra! Aqui que eu saiba ninguém estava a ofender, mas o Borgia passou logo para a ofensa gratuita. Aprenda e a ser humilde e respeitar os outros. E mais, tenho a certeza que não sabe o que e o programa de EMRC. Informe-se antes de falar.

    • Elsa Paula on 25 de Abril de 2019 at 0:58
    • Responder

    Sou assistente técnica nos serviços administrativos de uma escola, sou mãe, já fui catequista. Sou suspeita, mas a “imagem” da disciplina EMRC está muitas vezes deturpada na cabeça dos encarregados de educação e juntando a crise de valores que vivemos atualmente, muitos optam por não efetuar inscrição. Falta marketing! Falta atitude! Não tem conta o número de vezes que ouvi “ele/a já vai à catequese, não precisa de ter EMRC”. Não tem nada haver! São “coisas” tão distintas. Tenho orgulho em escrever e dizer que no meu 12° ano, era a única aluna de EMRC num liceu de 1000 e poucos alunos. Aprendi tanto sobre religião e as diversas religiões no mundo, sobre partilhar, etc… Agradeço os formadores de EMRC que tive.

      • Anónimp on 25 de Abril de 2019 at 12:51
      • Responder

      Elsa Paula, muita gente não sabe o que é uma aula de EMRC e põe-se a dar palpites sem saber do que está a falar. E como o saber não ocupa lugar, aqui fica um artigo que pode elucidar algumas pessoas desinformadas:
      https://setepecadosimortais6.blogspot.com/2019/04/religiao-e-moral-sao-fundamentais-na.html?fbclid=IwAR0kv89_QiCuKcY4PQ9j1Hfz5vGUuJPtOQ_s_93ghvucVWNK6pTbpzdleuE
      Obrigada pelo seu contributo, Elsa Paula!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog