Primos, primas, sogros, sogras, genros, noras, pais, mães, tios, tias, filhas, filhos, maridos, mulheres, amantes, enteados, enteadas, afilhados, afilhadas, comadres e compadres, uniões de facto e sem facto…

E mais os animais de estimação…

Familygate: há agora mais seis casos de nomeações familiares – ECO

 

PS:

Chamem a GNR…

Ana Leal: “GNR e MAI continuam a pactuar com esta ilegalidade”

A investigação da Ana Leal mostra as suspeitas de favorecimento nas contratações da GNR. Familiares de altas patentes estão a ser escolhidos para cargos de relevo.

 

Já percebi a regra – não sejas pato três vezes porque isto de andar ao colo…:

Ligações familiares no Governo: terceira polémica de ex-secretário de Estado do Ambiente deu demissão – O Jornal Económico

 

E não sei porque é que o Cavaco abre a boca:

“Familygate”: Governo de Cavaco Silva nomeou 11 mulheres de ministros e secretários de Estado e mais 4 familiares diretos – Política – Polígrafo

 

No jobs for the boys, diz agora Cavaco. E jobs for the wives no seu Governo? – Observador

 

Pois, mas, o que interessa é criar cortinas de fumo e empurrar os problemas com a barriga para ver se o pessoal se esquece:

“(…) O presidente da comissão parlamentar de Transparência defende que o Governo podia ter resolvido a questão das nomeações de familiares através do Código de Conduta.

O presidente da comissão parlamentar da Transparência, Luís Marques Guedes, respondeu esta sexta-feira ao primeiro-ministro, António Costa, que ontem desafiou esta comissão a debater um critério claro que regule as nomeações familiares na esfera do Governo. A existir uma lei, esta “só poderia ser feita pelo próprio Governo”, disse o deputado do PSD, referindo-se ao Código de Conduta. (…)

Costa atirou problema para o Parlamento. Comissão de transparência devolve batata quente ao Governo – ECO

 

Como convêm, não é verdade?

Ministério Público deixa investigação ao “apagão fiscal” parada há 19 meses – O Jornal Económico

“Intolerável”, diz a eurodeputada Ana Gomes, numa carta à Procuradoria-Geral da República, alertando que o inquérito a transferências de 10 mil milhões “não avançou absolutamente nada”.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/04/primos-primas-sogros-sogras-genros-noras-pais-maes-tios-tias-filhas-filhos-maridos-mulheres-amantes-enteados-enteadas-afilhados-afilhadas-comadres-e-compadres-unioes-de-facto-e-sem/

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • alecrim dourado on 4 de Abril de 2019 at 18:59
    • Responder

    Tudo o que o PS sabe de mau, aprendeu com os outros.


  1. A diversidade é quase tão extensa como aquela coisa do género…
    Uma abordagem fantástica: Da visão holística à articulação sectorial e temporal!!!

    Ouvir os “comentadeiros” de encomenda e os “politiquinhos” da nação sobre a coisa é uma comédia sem fim… “que é para desviar dos assuntos sérios do país”, que é mais uma questão de “populismos”, que pelo facto de um se ter demitido o mal foi expurgado, …, (primeiro dá vontade de rir e depois vómitos compulsivos)…

    Como se um dos principais problemas deste país não radicasse no tráfico de favores/ influências e na crescente corrupção (difícil de provar por interesses quer do corruptor quer do corrompido e onde a lei tão cheia de moralismo – que não existe em mais lado nenhum – dificulta tudo o que seja obtenção de meio de prova…) que têm crescido sem vergonha, minado e extorquido o país e os portugueses até à medula – NÃO FOSSE , exactamente este VELHO FENÓMENO sempre em crescendo, da PARTIDARIZAÇÃO e “CLIENTELIZAÇÃO” (não dizer falar das famílias mafiosas maçónicas ) DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (central e local) desde os cargos de topos às chefias intermédias… até aos subservientes cá da base, o grande responsável da pobreza e indigência, deste país..

    Se há interesses políticos escondidos… claro que sim…como em tudo o resto… da história (para quem ainda tem memória) rezam as práticas habituais…
    UI…Ui…Ui… se já somos pobres e miseráveis é preparar para o que virá com as municipalizações e regionalizações… sempre… e, obviamente, inerentes à sempre conveniente ausência de sindicância e de fiscalização, descontrole e contínua irresponsabilidade e impunidade.

    • Maximino d'Oliveira on 5 de Abril de 2019 at 8:24
    • Responder

    E nem se fale do que por aí vai, naquilo que mais diretamente “nos” diz respeito (e incomoda), com a nomeação de maridos, esposas, primas, primos e quejandos como adjuntos, etc. e tal… do diretor (nas direções das escolas). Uma escandaleira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog