Faseamento dos 2,9,18, e as ULTRAPASSAGENS

A proposta que veio ontem a lume é mais uma forma de atirar areia para os olhos dos professores. Estamos em campanha eleitoral.

A possibilidade de faseamento dos 2,9,18 funcionaria em três tranches, primeira tranche seria em 1 de junho de 2019, segunda a 1 de junho de 2020 e a última em 1 de junho de 2021. Mas para que subiu ou subirá durante o ano de 2019 e 2020 convém receber tudo de uma vez, logo a ULTRAPASSAGEM mantém-se, embora se mitiguem.

Por exemplo, um docente cuja progressão só acontecesse no próximo ano, pode optar por receber o primeiro terço (a primeira tranche) do tempo recuperado em junho deste ano, progredindo já em 2019 para o escalão seguinte.

Por outro lado, para um professor que progrida este ano e que, assim, possa ter acesso aos dois anos e nove meses congelados deverá ser mais vantajoso escolher a opção já inscrita no diploma das carreiras dos docentes, uma vez que, se recuperar logo os quase três anos, no próximo ano terá direito a uma nova progressão. Isto porque, recorde-se, os módulos padrão nas carreiras dos docentes são de quatro anos.

É apenas uma forma de atirar areia para a engrenagem e tentar iludir os mais distraídos.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/04/faseamento-dos-2918-e-as-ultrapassagens/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,


  1. Estou cansada destes postes. Estou cansada de chegar à sala dos professores e a conversa ser sempre a mesma: subir escalão, tempo de serviço, euros e mais euros. Todas as baterias apontadas para uns e nada para os outros. E OS CONTRATADOS?? E OS MILHARES DE COLEGAS COM MENOS DE 16H A CENTENAS DE KM QUE NEM DIREITO A SUBSÍDIO DE DESEMPREGO TÊM?

      • Serafim Saudade on 5 de Abril de 2019 at 13:13
      • Responder

      .
      “E OS MILHARES DE COLEGAS COM MENOS DE 16H A CENTENAS DE KM QUE NEM DIREITO A SUBSÍDIO DE DESEMPREGO TÊM?”

      Quem não está bem, muda-se.
      É óbvio que só os otários insistem em manterem-se em postos de trabalho mal remunerados. Actualmente há muito emprego e a empregabilidade de Licenciados e Mestres aumentou imenso no Sector Privado.
      Portugal está praticamente numa situação de Pleno Emprego (o desemprego é residual), existindo já muitos sectores com falta de mão-de-obra.
      .


      1. Concordo plenamente. Os colegas do quadro que procutem emprego no privado pois, sefundo diz, há muitas vagas. E que deixem de chorar.

    • Ave Rara on 5 de Abril de 2019 at 12:38
    • Responder

    .
    Já ontem realizei um comentário referindo que esta Nova Opção muda um pouco a situação, em particular para quem progrediu em 2018.

    Repito o meu comentário anterior:

    Isto é NOVO e vem mudar as regras de recuperação prescritas.

    Uma coisa é a recuperação/bonificação de “…2 anos, 9 meses e 18 dias a repercutir no escalão para o qual progridam a partir de 1 de Janeiro de 2019”.

    Exemplo: Todos os professores só recuperam após a dita mudança para o escalão seguinte existindo, como é óbvio, ultrapassagens. Os docentes no 9º escalão não recuperam tempo nenhum.

    Coisa diferente é esta Nova Possibilidade:

    “…recuperação de 2 anos, 9 meses e 18 dias, em três fases: Junho de 2019, Junho de 2020 e Junho de 2021”

    Com esta Nova Possibilidade deixam de ocorrer ultrapassagens; os docentes no 9º escalão recuperam tempo como os seus colegas e a recuperação faz-se de forma mais rápida.
    .

      • Ave Rara on 5 de Abril de 2019 at 12:44
      • Responder

      .
      Com esta Nova Opção:

      “Os cerca de 46 mil professores que progrediram em 2018 poderão beneficiar da recuperação do tempo de serviço congelado já a partir de Junho, ao contrário do que se encontra estipulado no diploma sobre os docentes aprovado em Março. Esta será a novidade principal do decreto-lei sobre a recuperação do tempo de serviço nas carreiras da defesa, da justiça e da administração interna, aprovado nesta quinta-feira em Conselho de Ministros e cuja mecânica de aplicação poderá estender-se aos professores.

      https://www.publico.pt/2019/04/04/economia/noticia/professores-podem-optar-1868103

      .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog