Dicas de Um Simples Professor aos Jornalistas do Observador

Não, meus caros, não é assim que se faz.

Peguei no PDF que vocês divulgaram que nem está protegido (também se estivesse não era problema para mim…) e utilizei o Word para o abrir. Depois gravei uma versão em Word e o rasurado aparece todo nos lugares certinhos.

Simples.

Governado por idiotas.

Tomem lá o documento:

[gview file=”http://www.arlindovsky.net/wp-content/uploads/2019/02/relatorioauditoriafinalcgd2.docx”]

PS:

Ontem com 95% do cérebro desligado perdi 2 minutos e fiz a conversão acima citada.  A versão Word está um bocado atrofiada, mas, os rasurados aparecem todos.

Claro que teimoso como sou queria produzir uma versão “bonitinha”.

Hoje com o antibiótico a fazer efeito resolvi abrir o PDF original e com o botão direito do rato fui às propriedades do documento:

 

O que conclui?

A versão original do documento é uma versão em Powerpoint que foi impressa em formato PDF com a impressora PDF deste software (quem criou o documento deve ter a versão pro):

https://pdf-xchange.eu/pdf-xchange-editor/index.htm

Resolvi instalar a versão trial e converti o PDF original para uma versão Powerpoint “com tudo no sítio” e sem os rasurados :

[gview file=”http://www.arlindovsky.net/wp-content/uploads/2019/02/relatorioauditoriafinalcgd2-1.pptx”]

 

Governado por idiotas.

PS2:

E sai uma prescrição para a mesa do canto!

Gestores da Caixa aprovaram concessão de 13 créditos que chumbaram na análise de risco. Maioria teve aval de António de Sousa e Santos Ferreira

Caixa Geral de Depósitos (CGD) aprovou, entre 2000 e 2015, a concessão de 13 créditos que mereceram parecer desfavorável da Direção Global de Risco, sem que a administração tenha apresentado qualquer justificação para essa decisão. Estas 13 operações, a maioria das quais com o aval de António de Sousa ou de Carlos Santos Ferreira, acabaram por resultar em perdas de 48 milhões de euros. Nas operações de reestruturação que merecerem chumbo mas avançaram na mesma, o banco perdeu quase dez vezes mais.

(…)

Ler mais.

 

 

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/02/dicas-de-um-simples-professor-aos-jornalistas-do-observador/

1 comentário

2 pings

    • Maria Silva on 3 de Fevereiro de 2019 at 12:50

    Não me admira a incompetência do nosso jornalismo. limitam-se a procurar e reproduzir grandes títulos e pouco mais. Procuram comentadores sem novidade e sem ideias próprias, não falam verdade e não têm rasgo, cultura ou imaginação: tolinhos vestidos e maquilhados.
    Há excepções (ainda!)

  1. […] Dicas de Um Simples Professor aos Jornalistas do Observador […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog no Facebook