«

»

Mai 18 2017

Imprimir Artigo

ME sem tempo disponível para ouvir a FENPROF

 

Andam todos numa azáfama incrível. Há muita coisa a acontecer ao mesmo tempo. O tempo escasseia… ou tempo ou o interesse.

 

ME diz não ter disponibilidade de agenda para reunir com a FENPROF em maio

Uma resposta intolerável aos professores que estiveram hoje em luta, exigindo respeito pelos seus direitos, melhoria das suas condições de trabalho e a valorização do seu estatuto de carreira

 

Comentários

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2017/05/me-sem-tempo-disponivel-para-ouvir-a-fenprof/

  • Rambo

    Caro colega Rui Gualdino devo dizer-lhe que os “professores” enquanto classe (sem classe nenhuma) profissional NÃO TEM DIREITO A NADA.

    O que se vai aplicar aos professores é tudo aquilo que vier a dizer respeito à Função Pública em geral.

    Temos muita pena, mas os “professores” não são Magistrados do Ministério Público, não são Juizes, não são Militares……os “professores” não passam de uns ZECOS.

  • Anonimo

    Este Governo chamado de GERINGONÇA em nada contribuiu para a melhoria das condições profissionais dos Professores.

    A diferença em relação ao Ministro Nuno Crato é NULA e, portanto, venha o Diabo e escolha.

    Um BLUF chamado TIAGO BRANDÃO RODRIGUES

    http://www.jornalacores9.net/wp-content/uploads/2016/01/image-18-635×340.jpg

    • Anonimo

      AGARREM-ME QUE EU VOU-ME A ELE…..

      AGARREM-ME

      AGARREM-ME

      NÃO SE ESQUEÇAM DE ME AGARRAR….
      http://www.portaldeangola.com/wp-content/uploads/2013/04/759023.jpg

    • Anonimo

      AGARREM-ME QUE EU TAMBÉM ME VOU A ELE…..

      AGARREM-ME

      AGARREM-ME

      NÃO SE ESQUEÇAM TAMBÉM DE ME AGARRAR..

      https://www.fne.pt/uploads/noticias/big_1490614801_4681_1.png

    • Ana

      As migalhas dadas aos «Professores» pelo Ministro ao longo destes 2 anos de Governo:

      – Substituiu a BCE;

      – O ME vai vincular 3.000 professores em setembro, de um universo de 30.000 “precários”, e, por esse motivo, decidiu excluir os professores do programa geral de combate à precariedade e integração nos quadros da Administração Pública. Apesar desta exclusão, o Ministro da Educação afirma não poder assegurar que, na presente Legislatura, possam abrir-se novos processos de vinculação extraordinária.

      Ou seja…. “a montanha pariu um rato”

      “Com papas e bolos se enganam os tolos”

      É esta a história de uma carreira cada vez mais desprestigiada.

      • Ana

        Além dos concursos manhosos terem terminado nada mais foi feito por este Ministro.

        Ou seja este Ministro apenas fez algo naquilo que não tinha qualquer impacto financeiro.

        Melhorar as condições de trabalho dos professores = ZERO

        Regime Especial de Aposentação Docente = ZERO

        Distinção entre componente lectiva e não lectiva = ZERO

        Descongelamento da Carreira Docente = ZERO

        Promoções = ZERO

        Condições de Trabalho = ZERO

        (…)

      • Raju

        Colegas, a minha opinião é ligeiramente diferente. Sou professora contratada e para mim o facto deste ME ter substituído da maldita BCE pela listas de colocação (que seguem a graduação) até final do ano letivo, significou muito. A diferença para mim, e para muitos na minha situação, é que passamos de uma situação de não ter horário para passar a tê-lo. Sou da opinião que a aposentação dos colegas com mais idade é uma medida urgente/prioritária e benéfica para todos. Ganham os colegas que mostram já cansaço, ganhamos nós, os mais novos, porque há mais lugares disponíveis e em muitas situações ganham as escolas e os alunos, pelo maior dinamismo de atividades letivas e não letivas, mas sempre enriquecedoras para todos os intervenientes do processo ensino-aprendizagem.
        Digo mais, a greve não deve ser de um dia ou dois, deverá ser de um mês se necessário e deve ter adesão de 100% para que um regime especial de aposentações seja colocado em prática, mas nunca direi que Nuno Crato e Tiago Rodrigues são iguais. Há que reconhecer o mudou para melhor com TR e não esquecer as restantes causa de luta, isso sim.

    • Zéze Camarinha

      Este Ministro tem cara de parvo…..dizem que era investigador ….para mim ele é isso sim mais um daqueles oportunistas que vagueiam pelos partidos políticos, no caso presente pelo partido xuxalista.

  • Julio

    No que diz respeito ao “Regime Especial de Aposentação” dos Docentes este MINISTRO FEZ ZERO.

    Neste sentido é bom recordar que este Governo fez aprovar um Regime Especial de Aposentação para os Militares, GNR, PSP, Policia Marítima, Policia Judiciária….os quais aos 60 ANOS DE IDADE podem Aposentar-se sem qualquer tipo de penalização. No caso dos Militares e da GNR, aos 55 ANOS DE IDADE passam à RESERVA (isto é, vão para casa) e aguardam pelos 60 ANOS DE IDADE, momento a partir do qual passam à REFORMA/APOSENTAÇÃO.

    Acresce referir que os Militares e a GNR ainda tem UMA BONIFICAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO, ou seja, inicialmente essa Bonificação correspondia a um acréscimo de 25% (por cada 4 anos o militar é como se tivesse feito 5 anos) e agora essa BONIFICAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO passou para 15%

    Um Militar ou um guarda da GNR com a bonificação (actual) de 15% no Tempo de Serviço se lá permanecerem 35 ANOS significa 40,25 ANOS (35 anos + 15% de bonificação = 40,25 ANOS DE SERVIÇO

    Significa isto que estes GRUPOS PROFISSIONAIS são duplamente favorecidos.

    No Sector Privado também existem Regimes Especiais de Reforma de que são exemplo as “bordadeiras da madeira”, os “controladores de tráfego aéreo”….

    • Ana

      Reformas no Estado teriam caído 25% se não fossem saídas da GNR

      Nos primeiros seis meses deste ano vão sair para a reforma cerca de 3800 funcionários públicos, incluindo mais de 900 elementos da Guarda Nacional Republicana. Valor das reformas também continua a cair na função pública

      O ritmo de saídas de funcionários públicos para a reforma continua a cair. Nos primeiros seis meses do ano passado, a Caixa Geral de Aposentações passou a contar com 3870 novos aposentados; neste ano o número baixou para 3800 (-2%). Mas a queda seria ainda maior, chegando aos 25%, se deste universo se retirassem os mais de 900 elementos da GNR que vão entrar na reforma até junho.

      “Há cada vez menos pessoas a querer sair e faz todo o sentido que assim seja, porque reforma aos 55 anos de idade sem qualquer bonificação pelos anos a mais de serviço tem desincentivado as saídas antecipadas”, precisou ao DN/Dinheiro Vivo o secretário-geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap). A esta ausência de bonificações para carreiras mais longas (que existe no setor privado) junta-se, sublinha José Abraão, a cascata de cortes no valor da pensão para quem sai da vida ativa antes da idade legal da reforma (neste ano 66 anos e três meses).

      O impacto deste sistema de penalizações (mensal e por via do fator de sustentabilidade) aliado ao facto de a idade de acesso à reforma sem cortes avançar todos os anos tem estado a refletir-se de forma significativa no volume de saídas para a reforma na função pública. No ano passado, a Caixa Geral de Aposentações registou a entrada de 8727 novos reformados: foram metade das reformas deferidas um ano antes e bem longe das mais de 24 mil aposentações contabilizadas em 2006.

      Não há, de resto, qualquer registo, desde o início deste século, de as saídas para a reforma terem ficado abaixo da casa de uma dezena de milhar. A consulta dos Diários da República (em que estão publicadas as listas dos que se vão reformar até junho) mostra que o nível de aposentações está a abrandar ainda mais neste ano. José Abraão vê também nesta travagem algum efeito do regime de reformas antecipadas para as longas carreiras contributivas que tem estado a ser discutido na concertação social, mas que apenas se vai aplicar a quem desconta para a Segurança Social (trabalhadores do setor privado, sobretudo). “Queremos que o novo regime seja aplicado à função pública”, precisou o sindicalista, replicando a posição que tem sido defendida pelas centrais sindicais. Também a presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), Helena Rodrigues, sublinha que as carreiras longas dos funcionários públicos não podem ficar de fora, nem continuar a suportar o corte pelo fator de sustentabilidade nas reformas antecipadas. Em 2016, as novas reformas caíram para o valor mais baixo desde 1999 e, neste ano, o valor médio nos primeiros três meses foi de 951 euros (contra 996 no período homólogo de 2016).

      O volume de saídas seria ainda mais reduzido se, do universo de novos reformados para este primeiro semestre, se retirar o elevado número de reformas por parte de efetivos da Guarda Nacional Republicana. As referidas listas, que são publicadas em Diário da República, indicam que no primeiro semestre do ano passado saíram para a reforma um total de cinco elementos da GNR. Mas nos primeiros seis meses deste ano vão superar os 900.

      Ao DN/Dinheiro Vivo, o presidente da Associação de Profissionais da Guarda, César Nogueira, referiu que o volume de saídas que está a registar-se reflete o elevado número de entradas para os cursos da GNR registado no final das décadas de 70 e início de 80. Trata-se de pessoas que entraram naquela altura e que reuniram já as comissões de acesso à aposentação.

      A GNR tem agora menos de 23 mil efetivos, mas já chegou a ter 28 mil. Perante a leva de reformas agora registada, e o facto de os cursos atuais não irem além das 300 ou 400 vagas, César Nogueira antecipa que a falta de efetivos se vá acentuar. Recentemente, para colmatar a redução de pessoal, foi decidido que o pessoal da GNR apenas passa à reserva quando aos 55 anos tem 36 anos de serviço. Se assim não for, ficam na reserva com efetividade de serviço.

      http://www.dn.pt/dinheiro/interior/reformas-no-estado-teriam-caido-25-se-nao-fossem-saidas-da-gnr-8484583.html

      • Anonimo

        Na GNR aos 55 ANOS DE IDADE passam à RESERVA (ou seja, vão para casa) e aguardam em casa que chegue os 60 ANOS DE IDADE, momento a partir do qual passam à REFORMA.

        E os PROFESSORES ????????? NADA + NADA = NADA

  • Fernanda Tadinha

    Eu já me safei….

    Fernanda Tadeu (mulher de António Costa), que se formou na Escola Superior de Educadoras de Infância Maria Ulrich e, mais tarde, licenciou-se em educação especial.

    Fernanda Tadeu era educadora de infância numa escola do concelho de Sintra. Em 2014, acabou por aderir ao programa de rescisões por mútuo acordo do pessoal docente. O Governo de Pedro Passos Coelho deferiu o pedido e Fernanda Tadeu já se safou.

    http://www.movenoticias.com/2015/08/conheca-a-mulher-que-podera-vir-a-ser-primeira-dama-apos-legislativas/

    Maravilhaaaaaaaaaaaaaaaa…………..

    https://a.disquscdn.com/uploads/mediaembed/images/4130/3116/original.jpg

  • Anonimo

    MAI e Finanças assinam PROMOÇÕES DE 684 ELEMENTOS DA GNR

    17 de MAIO de 2017

    O despacho de promoções para 684 elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) foi hoje assinado pela ministra da Administração Interna e pelo Ministério das Finanças, revelou fonte do Ministério da Administração Interna.

    A maior fatia (139) vai para a promoção de cabo a cabo-chefe, estando também contempladas 17 promoções do posto de tenente-coronel a coronel.

    Haverá ainda nove promoções de major a tenente-coronel, 17 de capitão a major, 34 de tenente a capitão, 12 de alferes a tenente, 26 de sargento-chefe a sargento-mor, 82 de sargento-ajudante a sargento-chefe, 94 de primeiro-sargento a sargento-ajudante, 54 de segundo sargento para primeiro sargento, 65 de cabo-chefe para cabo-mor e 135 de guarda principal para cabo por antiguidade.

    A questão das promoções era uma das principais reivindicações da classe, tendo recentemente a Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) anunciado para 24 de maio a realização de uma manifestação em Lisboa para protestar contra o novo estatuto da GNR e exigir promoções que estão por concretizar.

    A APG justificou que os militares da GNR exigem imediatamente promoções, uma vez que “estão demasiadas por concretizar” e “apenas uma percentagem vai ocorrer devido ao adiamento justificado por medidas de contenção orçamental”, além de querem também o desbloqueamento dos índices remuneratórios.

    https://www.noticiasaominuto.com/pais/795837/mai-e-financas-assinam-promocoes-de-684-elementos-da-gnr

    E OS SETORES E SETORAS ficam com as migalhas que cairem da mesa do repasto…..

  • Fernanda

    Não têm tempo?????

    Então e as flexibilizações de agendas? Não existem?

    Agora apetecia mandar 1 palavrão.

    • Raul

      Esta atitude mostra bem e de forma inequívoca a consideração que o Ministro Tiago Brandão Rodrigues tem por uma Classe profissional cada vez mais desprestigiada.

      Os professores são os grandes responsáveis por este tipo de atitudes por parte do Ministério.

      Tudo isto é uma VERGONHA.

  • PL
  • Professora

    É bom que os sindicatos tenham inteligência para tentarem resolver este problema do regime especial de aposentação. Só quem anda nas escolas se apercebe do grau de saturação e desmotivação dos mais velhos – neste momento, a maioria.

    Um ano e meio de GERINGONÇA e NADA! (quase nada em relação às condições de trabalho dos docentes). Odiei ouvir a deputada do PS ontem no debate a elencar tantas, tantas “benesses” que já tinham vindo para a escola pública neste ano e meio. A mim, ainda não chegou NADA! Houve alguma devolução dos rendimentos, muito longe do que recebia em 2011, mas não foi apenas para os docentes, foi para todos. Agora em relação à classe docente, o que melhorou? NADA!

    É tempo dos partidos mais à esquerda, que da boca para fora tanto defendem as pretensões dos docentes, se imporem e mostrarem que não é só conversa. São eles que farão com que o próximo orçamento seja aprovado. O PS sozinho não o pode aprovar. Esperemos que se esta situação não ficar resolvida antes, pelo menos no início de 2018.

    40 anos são MUITOS ANOS de trabalho numa profissão tão stressante.

    Sindicatos, abram os olhos, façam uma boa divulgação e marquem greve aos exames e às avaliações. Isto só vai lá assim.

    E vai daqui um apelo aos professores contratados. Se houver um regime especial de aposentação, muitos de vocês poderão entrar no quadro. Não pensem que isto é uma luta só dos “velhotes”. E parem com as divisões entre professores de 1º ciclo, 2º ciclo, secundário, etc. Quanto mais divididos, menos força temos.

    POR UM REGIME ESPECIAL DE APOSENTAÇÃO PARA OS DOCENTES!

  • Rui Silva

    Preferia ter um Jogador do Canelas como Líder Sindical…. O Mário Nogueira é muito fofinho

    Ora vejam o que devia acontecer ao Tiaguinho para não brincar com os professores.

    https://www.youtube.com/watch?v=iTPHxNqhqtM

  • Rita

    Isto é uma questão que diz respeito a todos os professores, quer sejam mais novos ou mais velhos.

    http://www.spn.pt/Media/Default/_Profiles/4876592e/e26936e7/40anos.JPG?v=636111063806084844

    • Fernanda

      Pois é. Mas há colegas mais novos que ainda não se aperceberam disso. Alguns nem viveram o consulado de Lurdes Rodrigues e consideram todos os atropelos “naturais”.

  • Coeh
  • Anonimo

    GREVE AOS EXAMES

    GREVE AOS EXAMES

    GREVE AOS EXAMES

    GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

  • Ada Silva
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar