E Assim Vão as Mobilidades Estatutárias – Intervenção Precoce

E consta-me que estas regras serão aplicadas para outro tipo de mobilidades estatutárias como o Plano Casa e afins.

Não vai interessar muito o perfil do docente neste trabalho, mas sim a pura gestão administrativa dos recursos humanos.

 

———- Mensagem encaminhada ———-

Data: 29 de maio de 2017 às XX:XX
Assunto: SNIPI – Rede de Docentes 2017/18
Para:

Exmo.(a) Sr.(a) Diretor(a) do Agrupamento de Escolas

Relativamente ao assunto em título, encarrega-me a Exma. Sra. Diretora-Geral – Dra. Maria Manuela, Pastor Faria, de informar V.ª Ex.ª que, por despacho de 22/05/2017, de Sua Excelência, a Senhora Secretária de Estado Adjunta e da Educação, foram atribuídos XXXX docentes docentes a essa Escola de Referência para a Intervenção Precoce na Infância, para integrarem a Equipa de Intervenção Local (ELI), devendo o preenchimento das vagas ocorrer pela seguinte ordem:

1º – O horário SNIPI deve ser distribuído a docentes de carreira sem componente letiva;
2º – O horário SNIPI deve ser distribuído a docentes colocados em mobilidade por doença;
3º – Na falta de docentes dos números anteriores deve a DGEstE procurar docentes de carreira de outras escolas naquelas condições;
4º – A atribuição de docentes de carreira disponíveis, sem prejuízo do número seguinte;
5º – A distribuição de horários SNIPI não pode gerar contratação de docentes.

Alerta-se V.ª Ex.ª que, caso tenha sido apresentada proposta de mobilidade estatutária para preenchimento das vagas em apreço, as mesmas só poderão ser validadas pelos serviços competentes das respetivas direções de serviços, após cumprimento das orientações acima enunciadas. Para tanto, carecerá V.ª Ex.ª de justificar devidamente a necessidade da mobilidade estatutária.

 

Com os melhores cumprimentos,

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2017/05/e-assim-vao-as-mobilidades-estatutarias-intervencao-precoce/

3 comentários

    • prof24 on 1 de Junho de 2017 at 7:44
    • Responder

    É verdade…mudanças a caminho. Escolas de educação especial que recebem crianças da portaria 1102 também receberam formulário próprio para preencher!!!

    • Teresa Soares on 1 de Junho de 2017 at 8:10
    • Responder

    Mais uma vez este lindo país á beira mar plantado me deixa muito triste. E porquê? Neste caso da mobilidade estatutária para a intervenção precoce, onde fica a formação especifica do docente na área? Neste mail enviado aos agrupamentos de referência não aparece em lado nenhum. Como sempre isso não interessa nada…!!! O que interessa são os números. Ok entendi, parvo é o docente que faz as formações, para se tornar um profissional melhor e ainda por cima sendo ele a pagar.!!!! Tolos estes docente…!!

      • prof24 on 1 de Junho de 2017 at 8:12
      • Responder

      A não ser que , ao abrigo da lei que regula a intervenção precoce, se cumpra essa exigência da especialização. Ou este e-mail anula a lei????

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: