Existem Para aí Umas Mães Estroinas que Não Concordam

(Clicar na imagem para aceder ao artigo)

PS:

Torremolinos: “Fátima? Há diferenças entre retiro espiritual e vandalismo…”

Comentário de Constança Cunha e Sá, na 21.ª Hora

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2017/04/existem-para-ai-umas-maes-estroinas-que-nao-concordam/

2 comentários

  1. JÁ COMEÇO A FICAR FARTA DOS COMENTADORES QUE DIZEM ” A ESCOLA , A ESCOLA…” ….. CHEGA!!!
    “A ESCOLA NÃO ENSINOU A UTILIZAR O LIVRO DE RECLAMAÇÕES!?!”
    ENTÃO HOJE EM DIA O QUE ENSINAM OS PAIS?
    OS QUE ESTÃO ENCARREGADOS DE DAR EDUCAÇÃO COMO EDUCAM OS FILHOS???
    SIM, CONSTANÇA, DIGA-ME SE CONSEGUIR, O QUE ENSINAM?

    • Joana Sousa on 11 de Abril de 2017 at 19:00
    • Responder

    Nas escolas públicas reina a IMPUNIDADE relativamente a actos de INDISCIPLINA.

    Na generalidade das escolas públicas existem “gabinetes” para tratar as questões disciplinares. No fim de cada ano escolar são aos MILHARES as PARTICIPAÇÕES DISCIPLINARES. Papeis que vão direitinhos para o Balde do Lixo, isto é, não serviram para coisa nenhuma.

    Quando um aluno insulta e/ou agride professores, colegas ou funcionários o pior que lhe pode acontecer é ir uns dias para casa (de férias) e depois regressa para continuar as suas “actividades lúdicas”. Dado que as faltas não tem consequência nenhuma porque ninguém reprova por faltas. Tudo numa boa…

    A única hipótese de existirem consequências para actos mais graves de indisciplina é participar o caso na esquadra mais próxima e, posteriormente, accionar os mecanismos judiciais. No caso dos alunos serem menores, respondem civil e criminalmente os paizinhos e as mãezinhas.

    Outra das hipóteses de existirem consequências é o caso vir para a comunicação social e, aí o Ministério Público, está obrigado a proceder em conformidade.

    Os professores e as escolas públicas não possuem mecanismos que permitam castigar de forma exemplar os alunos que prevaricam e, portanto, situações como a da Viagem de Finalistas em que os jovens partiram paredes, atiraram lixo para o chão, incendiaram camas, colocaram televisores dentro das banheiras, escreveram nas paredes, partiram objectos….NÃO SÃO DE ESTRANHAR PORQUE É ISTO QUE SE PASSA DENTRO DO RECINTO ESCOLAR e que muitas vezes é abafado e não salta para a comunicação social.

    É caso para perguntar a razão pela qual o Ministro da Educação não revê o Estatuto do Aluno:

    É caso para perguntar a razão pela qual o Governo não recoloca o Serviço Militar Obrigatório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: