Opinião de Luís Braga – “Não Reconduzam os Diretores”

Carta aberta aos conselhos gerais: sejam democratas! Não reconduzam diretores! (I)

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2017/02/opiniao-de-luis-braga-nao-reconduzem-os-diretores/

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Pepe on 23 de Fevereiro de 2017 at 12:14
    • Responder

    Por norma o CG está “comprado” pelo Diretor, os docentes e os não docentes… avaliações, horários, etc

    • a on 23 de Fevereiro de 2017 at 13:09
    • Responder

    Esta é uma excedente oportunidade de mudar o rumo do barco, pois os tripulantes já estão enjoados da maneira como o pretenso homem do leme conduz a embarcação. O mando do barco deverá ser entregue aos tripulantes.

    • Nuno Barata on 23 de Fevereiro de 2017 at 19:16
    • Responder

    Não tenho qualquer esperança na alteração do modelo de gestão das escolas antes do final do ano letivo. O DL nº75/2008 alterado pelo DL Nº 137/2012 foi cozinhado e implementado no tempo da maioria absoluta do Sócrates (quando era ministra a nossa saudosa e amiga Maria de Lurdes Rodrigues) e existem muitas pressões para que não seja alterado para já. A mama vai continuar para os mesmos mais 4 anos. Assim como continuarão as lideranças autocráticas e os suplementos remuneratórios chorudos.

      • Paulo on 23 de Fevereiro de 2017 at 21:40
      • Responder

      Pois, e os escravos dos professores a trabalhar para os xulos dos diretores, que não têm qualquer formação nem vocação para o cargo.

    • Maria Silva on 6 de Maio de 2017 at 0:17
    • Responder

    Nós tentamos, mas…

    Qual a vossa opinião sobre a seguinte situação:

    Resultado da votação secreta da recondução do diretor: 10 – sim, 10 – não e 1- branco .
    2ª votação igual resultado.

    Parte do conselho geral quis ver aplicada a lei específica sobre a eleição/recondução do diretor, Decreto-lei 75/2008, de 22 de Abril, artigo 25, ponto 3, onde diz claramente que “A decisão de recondução do diretor é tomada por maioria absoluta dos membros do conselho geral em efetividade de funções”. A maioria absoluta dos 21 elementos são 11, a recondução do diretor teve apenas 10 votos, logo não há recondução

    Outra parte quer dar destaque ao empate e fazer prevalecer o Código do procedimento administrativo e assim convocar mais uma votação.


    1. CPA art 2º
      1 — As disposições do presente Código respeitantes aos
      princípios gerais, ao procedimento e à atividade administrativa
      são aplicáveis à conduta de quaisquer entidades,
      independentemente da sua natureza, adotada no exercício
      de poderes públicos ou regulada de modo específico por
      disposições de direito administrativo.
      3 — Os princípios gerais da atividade administrativa e
      as disposições do presente Código que concretizam preceitos
      constitucionais são aplicáveis a toda e qualquer
      atuação da Administração Pública, ainda que meramente
      técnica ou de gestão privada.
      5 — As disposições do presente Código, designadamente
      as garantias nele reconhecidas aos particulares,
      aplicam -se subsidiariamente aos procedimentos administrativos
      especiais.

      Assim o CPA prevalece

      Artigo 33.º
      Empate na votação
      1 — Em caso de empate na votação, o presidente tem
      voto de qualidade, ou, sendo caso disso, de desempate,
      salvo se a votação se tiver efetuado por escrutínio secreto.
      2 — Havendo empate em votação por escrutínio secreto,
      procede -se imediatamente a nova votação e, se o empate se
      mantiver, adia -se a deliberação para a reunião seguinte.
      3 — Se, na primeira votação da reunião seguinte, se
      mantiver o empate, procede -se a votação nominal, na qual
      a maioria relativa é suficiente.

        • Maria Silva on 10 de Maio de 2017 at 12:23
        • Responder

        Resposta de entidade superior:
        Enquanto lei especial, o DL n.º 75/2008, de 22.04, alterado pelo DL n.º 137/2012, de 02.07, no seu artigo 25.º estabelece as regras aplicáveis à decisão de recondução do diretor. Neste sentido, caso não se obtenha a maioria absoluta exigida no n.º 3 do referido normativo, aplica-se de imediato o disposto no n.º 5 do mesmo que prevê que “Não sendo ou não podendo ser aprovada a recondução do diretor de acordo com o disposto nos números anteriores, abre -se o procedimento concursal tendo em vista a eleição do diretor, nos termos do artigo 22.º”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog