Petição: Teste escrito como único elemento avaliativo a Educação Física

 

Era o que mais faltava. A nota de Educação Física contar para a média de entrada na Universidade? Isto não cabe na cabeça de ninguém. Só num país subdesenvolvido é que isto acontece. Às vezes, julgo viver num daqueles países em que os miúdos correm de e para a escola, deixando antever o seu futuro como maratonistas internacionais. (tão magrinhos que eles são. Até parece que passam fome.)

Porque é que um médico ou um advogado tem de saber “dar” uma “cambalhota”? (cada um faz o que quer com a sua vida e eu não tenho nada a ver com isso) Se quiserem fazer exercício só precisam de se inscrever num qualquer ginásio e, quando tiverem uma folguinha, passar por lá. (equipados com aqueles modelitos de morrer e toalha de seda pelos ombros) Ou então, dar uns mil euritos por uma” Bike”, apetrechada com “material” do melhor que há no mercado, para não terem que se esforçar nas subidas. É vê-los em grupo (qual matilha de lobos) a passear-se por essas estradas regionais, ao domingo de manhã. (esses hereges que faltam à missa)

Tenho lido e ouvido queixas de professores e pais sobre esta medida. Que será dos bons alunos? Aqueles que não levantam o rabo dos sofás, onde se embrenham em “calhamaços literários” e por ali ficam a encher as peles. Os meninos até devem praticar desporto, mas não numa perspectiva de seguir uma qualquer carreira na área, isso não dá pão a ninguém. (que dirá aquele antigo professor de Educação Física que deu aulas na Escola Básica 2/3 José Afonso em Alhos Vedros ,de seu nome José) A “ginástica” é para ser praticada nos tempos livres da criançada. (assim não ficam lá por casa a deformar o sofá de cabedal nem a sujar os tapetes persa) E mais. Porque é que têm de ter uma noção de uma data de desportos quando só gostam de um? Afinal de contas “ele” tem é de ser um Ronaldo porque nadar é para peixes, ou de ser bailarina, que é um desporto de gente “culta e civilizada”.

Brincadeiras e piadas à parte, o que li e ouvi foi a mediocridade de pensamento de um certo tipo de gente que sofre de perfeccionismo seletivo. (doença comum entre os umbiguistas)

Infelizmente, neste país o desporto e a prática desportiva é só para quem pode, não é para quem quer.

Deixem-se de hipocrisias. Em mais nenhuma disciplina, o esforço é tão avaliado como o desempenho final.

Mas sempre podem fazer uma petição a requerer que a Educação Física tenha como único elemento avaliativo uma “bateria” de testes escritos…

 

Autor Desconhecido

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2016/10/peticao-teste-escrito-como-unico-elemento-avaliativo-a-educacao-fisica/

27 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,


  1. Touché!!!

    • Jo on 25 de Outubro de 2016 at 17:47
    • Responder

    Não consigo entender a ironia do autor. O texto é dúbio…não sei se defende a Ed. Física ou a ataca, isto na perspetiva de a nota contar para a média.
    De resto não consigo concordar com 2 coisas: o desporto é realmente para quem quer e não para quem pode; valha-nos deus..para correr só preciso de…hmmmm…sapatos..ou nem isso se tivermos como exemplo alguns atletas africanos. Aliás, de onde vêm os melhores atletas do mundo..e com condições bem piores do que a maioria dos desportistas portugueses diga-se de passagem!
    E em mais nenhuma disciplina o esforço é tão avaliado como o desempenho final?! Por amor da santa…realmente…os professores das várias disciplinas não premeiam o esforço dos seus alunos..é só mesmo em Ed. Física!

    • discriminatório on 25 de Outubro de 2016 at 18:08
    • Responder

    A favor da obrigatoriedade da disciplina. Totalmente, contra a nota contar para acesso ao ensino superior. Para quem está esquecido e precisa recordar a principal razão pela qual a
    nota de Educação Física foi retirada do acesso ao Ensino Superior foram
    os casos que têm justificação médica para a não realização da
    componente prática da disciplina e, em que ninguém se entendia: colegas,
    pais dos alunos em causa e dos alunos dos outros. Quando os colegas
    davam notas boas, porque na componente teórica e cívica o aluno
    correspondia, os pais dos outros alunos reclamavam. Quando os colegas
    davam notas más, apesar de na componente teórica e cívica o aluno
    corresponder, o pai deste reclamava, pois este tinha nascido com uma
    incapacidade ou tinha-a adquirido e como tal não podia ser prejudicado
    perante a lei. Resultado: uma grande embrulhada! Foi perante casos como
    estes que se decidiu retirar a nota de Educação Física, por uma questão
    de equidade: aluno a fazer tratamentos de quimioterapia está impedido de
    realizar a
    componente prática da disciplina, é um excelente aluno a todas as
    disciplinas, nesta situação dificilmente terá uma boa nota a Educação
    Física; aluno surdo, realiza as atividades práticas, mas devido a ser
    surdo, tem falta de equilíbrio – nunca terá o mesmo desempenho por mais
    que se esforce; um aluno cego, está impedido de realizar a maioria das
    atividades da componente prática, pelo que a sua nota a Educação Física
    por mais que se esforce, será dificilmente muito boa; aluno com
    deficiência motora, paraplégico, p.ex., está também impedido da
    realização
    de muitas das atividades práticas. Se quiserem mudar e passar a que
    conte, então têm que arranjar uma forma de enquadrar, todos os alunos,
    para que nenhum se possa sentir prejudicado. Para tal cada aluno tinha
    que
    poder pelo menos escolher a modalidade desportiva compatível com as suas
    capacidades físicas. É que isto de uns terem nascido com as “peças”
    todas e outros só com algumas e quererem que todos façam o mesmo é como
    dizerem a todos os animais que subam à mesma árvore: para alguns é,
    simplesmente, impossível!


    1. Isso não é verdade! A lei é clara, se alguém não cumpre a lei façam queixa para IGE.

      Estatuto do aluno
      Artigo 15.º
      Dispensa da atividade física
      1 — O aluno pode ser dispensado temporariamente das atividades de educação física ou desporto escolar por razões de saúde, devidamente comprovadas por atestado médico, que deve explicitar claramente as contraindicações da atividade física.
      2 — Sem prejuízo do disposto no número anterior, o aluno deve estar sempre presente no espaço onde decorre a aula de educação física.
      3 — Sempre que, por razões devidamente fundamentadas, o aluno se encontre impossibilitado de estar presente no espaço onde decorre a aula de educação física deve ser encaminhado para um espaço em que seja pedagogicamente acompanhado.

      Além disso, os alunos incapacitados são avaliados de forma ajustada a fim de não serem prejudicados, nomeadamente através de testes escritos, trabalhos, arbitragem etc.

        • discriminatório on 25 de Outubro de 2016 at 18:22
        • Responder

        Muita gente não cumpre a lei, Alexandre Henriques, mesmo no caso dos alunos com PEI, apenas a Educação Física, por terem atestado médico. E por terem existido vários casos destes que foram denunciados no devido local é que a nota deixou de contar para acesso ao ensino superior.


        1. Não foi esse o principal motivo… o principal motivo foi que alguns alunos tinham excelentes notas a tudo exceto a Ed. Física.

          • discriminatório on 25 de Outubro de 2016 at 19:50

          Esse foi outro dos motivos, Alexandre Henriques, mas que mesmo assim gerava menos problemas que este. E já agora sou professor de Educação Física e tenho também formação em Educação Especial, pelo que sei ver o problema pelos dois prismas. E como já reuni com pares, já reuni com pais, já reuni com a inspecção sei, perfeitamente, que a solução que na altura foi encontrada foi a que gerava menor contestação.


        2. Muito bem, não coloco isso em casa. Apenas reafirmo que a oposição argumentativa não é assim tão restrita.

      • Nuno on 28 de Outubro de 2016 at 0:48
      • Responder

      Está errado!
      Os alunos com deficiência física ou mental são enquadrados no regime de ensino dos alunos com Necessidades Educativas Especiais. Quando enquadrados nesse regime, são feitas adaptações curriculares para irem ao encontro da possibilidade dos alunos e das suas necessidade de formação. Ninguém fica prejudicado ou beneficiado por ter mais ou menos “peças”.
      A nota foi retirada para acesso ao ensino superior por questões politicas e ignorância.
      A EF como tem um currículo vasto, que vai desde a dança até às modalidades de combate, entre outras, é que permite ser para todos e não apenas para alguns. Ainda assim os alunos no secundário podem escolher uma modalidade do seu gosto para serem avaliados….
      Atentamente.

        • discriminatório on 30 de Outubro de 2016 at 16:19
        • Responder

        Fica sim senhor prejudicado, quando um aluno que tem 19 e 20 a tudo, porque não tem qualquer problema cognitivo, mas tem um problema motor (grau severo), auditivo (severo) ou visual (severo) não pode lhe é dado 19 ou 20 a Educação Física, porque não tem a capacidade física ou sensorial para, simplesmente, o obter.

          • discriminatório on 30 de Outubro de 2016 at 16:20

          onde diz “não pode lhe” deve ler-se “não lhe”…

          • discriminatório on 30 de Outubro de 2016 at 16:27

          Isto pelo menos foi ao que sempre assisti, com estes alunos, que apesar de esforçados, muitos dos nossos colegas não lhes reconhecem, minimamente, o esforço e teimam, mesmo tendo eles PEI só a Educação Física, por lhes dar uma classificação muito inferior àquela que eles merecem pelo esforço, pois não têm a capacidade de se colocar no lugar destes alunos para compreender as dificuldades que eles têm que enfrentar para realizar uma disciplina com componente tão prática. O mesmo se aplica à disciplina de Educação Visual para alguns destes alunos.

          • Nuno on 30 de Outubro de 2016 at 19:22

          Um aluno esforçado a Matemática, se fizer muitas vezes 2+2=6, o professor de matemática não lhe pode dizer que sabe somar, ou não deveria. Não deveria estar a dar uma informação errada quanto à evolução e domínio das suas competências à disciplina. Penso que é isto que se deveria passar com todas as disciplinas.
          Os professores são certificados pelas universidades para avaliar a aquisição de competências e não para premiar a boa vontade e esforço…
          É por isso que os alunos terminam ciclos de formação sem saberem nada porque há professores que os passam porque os alunos até foram esforçados. Mas depois nem contas, nem atletismo, nem nada.
          Atentamente.

          • discriminatório on 30 de Outubro de 2016 at 22:16

          Bem se vê que não compreendeu nada! Há colegas que, simplesmente, se estão a borrifar para o PEI. Há colegas que não têm qualquer noção de que um aluno com surdez total não tem equilíbrio e, que por mais que se esforce, não irá conseguir realizar determinados exercícios. Há colegas que não têm noção que o mesmo acontece com um aluno cego, caso não adaptem a disciplina a esse mesmo aluno. E é disso que estamos aqui a falar. Já 2+2=4. Independentemente, de ser para um aluno surdo, cego ou deficiente motor ou cognitivo ou aluno sem qualquer deficiência. O ponto de partida na disciplina de Educação Física para alunos com NEE é, totalmente, diferente do ponto de partida para alunos sem NEE. E vai-me desculpar, mas como coordenador de colegas de Educação Física sei muito bem qual má prática corrente, a este nível. Se o colega é uma das exceções, ótimo. Por esse motivo é que sou, totalmente, a favor do aumento de horas da disciplina de Educação Física, quer no ensino básico, quer no ensino secundário, no entanto, sou, totalmente, contra que a avaliação conte no ensino secundário, para o acesso ao ensino superior. Porque estou farto de ver colegas meus a discriminarem negativamente miúdos que já nasceram ou adquiriram NEE e, porque também estou farto de ver alunos sem NEE, mas porque tinham notas de excelência a tudo e como precisavam de entrar em medicina, mas não tinham competências físicas e outras, que também são avaliadas na disciplina de Educação Física, os restantes colegas do Conselho de Turma, simplesmente, votavam a nota desses alunos à disciplina, subindo-a, fazendo com que as notas dos restantes alunos fosse comparativamente, inferior às dos alunos que tinham que entrar em medicina.

          • Nuno on 30 de Outubro de 2016 at 19:13

          Errado, mais uma vez.
          Se o aluno tem essas deficiências, passa a estar obrigatoriamente abrangido pelo decreto lei que regulamenta o Ensino Especial.
          Assim haverá uma adaptação curricular e avaliativa e o aluno poderá obter a nota que merece.
          Há alunos cegos com 20 à disciplina!
          Não fale do que não sabe.
          Atentamente

    • maria on 25 de Outubro de 2016 at 18:21
    • Responder

    O grande problema é que a disciplina se chama Educação física… e como tal deveria educar os alunos do ponto de vista físico. E educar não é saber fazer o mortal para trás ou para a frente… Os critérios da disciplina de ed. física são tão rigorosos que nem os professores conseguiriam obter a classificação de 19 ou 20. Mudem primeiro os critérios de avaliação , deem aulas de apoio aos alunos com mais dificuldade e depois então concordo que a nota da educação física conte para o acesso. De outra forma voltaremos a ver a entrada em alguns cursos a ser “feita” pela nota de educação física, como aconteceu em anos atrás.

    • jasp pes on 25 de Outubro de 2016 at 18:34
    • Responder

    …nunca li texto tão fútil neste blog. Que raio de argumentos são esses?
    E que tal uma petição para a educação física ter um currículo de jeito no 1.º Ciclo!
    E que tal uma petição para acabar com a precariedade dos professores que viram técnicos nas AEC?
    E que tal deixarem de fazer pouco do Docente de Educação Física, quando este se vê obrigado a dar a nota a um aluno marrão para não baixar a média!
    E que tal praticarmos um pouco de Atividade Física para não entupirmos o sistema de saúde e, consequentemente, não sair tanto dinheiro do contribuinte!
    E que tal alguém correr com este tipo de textos argumentativos-expositivos descabidos de inteletualidade?
    Irra, mete dó só de ler, que perca de tempo. Falem de coisas sérias se faz favor!

    Agora, zelando pela minha saúde mental, vou nadar um pouco!

    • Alexandre on 25 de Outubro de 2016 at 19:02
    • Responder

    Uma treta destas só podia ser sem assinatura. Já escreveram atrás, vários dos motivos da inclusão da média de EF, desde logo o tipo de exigência da disciplina, que de educação não tem nada e avalia os alunos como se de atletas se tratassem.

    • António Pereira Vasconcelos on 25 de Outubro de 2016 at 20:16
    • Responder

    Eu assinava a petição.

      • Zátopek on 25 de Outubro de 2016 at 20:36
      • Responder

      Num país onde se fazem estudos para tudo, sugiro o levantamento de dois elementos de informação, relacionados com acidentes, que têm muita relação com a intensidade que os alunos aplicam nas atividades, sendo esta intensidade dependente do interesse do aluno na classificação.
      1 – comparar o índice de acidentes a Educação Física nas disciplinas dos cursos de Ciências e Tecnologias, antes e depois da medida em que a Ed Física deixou de contar para o acesso.
      2 – Investigar o nº de alunos prejudicados na avaliação contínua das outras disciplinas ( e em exames) por causa de lesões sofridas na Ed. Física, por motivo de falta a aulas, internamentos, dores, impedimento de escrever, etc.

      Para responder ao número 1, basta consultar os ficheiros do seguro escolar de cada escola.
      Para o segundo, é mais difícil, teria que ser por inquérito. Conheço alguns casos que obrigaram a falta de aulas e até impedimento de ir a exame na data normal.
      Um aluno que houvesse prejudicado já era muito.

        • miguelyn on 25 de Outubro de 2016 at 21:59
        • Responder

        90% (e não preciso de estudos, basta a prática diária) acontecem porque o aluno em questão não está empenhado/concentrado na tarefa que se desenvolve na aula.
        E também não preciso de verificar as estatísticas do seguro escolar para ter praticamente a certeza que estes números aumentaram nos anos recentes.
        Agora junte os 2 e chegue a uma conclusão.

    • miguelyn on 25 de Outubro de 2016 at 22:01
    • Responder

    Por favor… retirem a nota de matemática do acesso ao Ensino Superior.

    É que a nota baixa a média à esmagadora maioria dos alunos que tentam o ingresso.
    Bem ao contrário da Educação Física, cuja larga maioria é beneficiada.

    Enfim…

    • Salvador on 26 de Outubro de 2016 at 0:57
    • Responder

    quem não concorda contigo é medíocre… pronto, és um génio da argumentação. a maior parte das pessoas nem percebeu a tua posição.

    • Daniel Guerra on 26 de Outubro de 2016 at 11:49
    • Responder

    Cambada de ignorantes, que desconhecem os beneficios da atividade física no bem estar geral do ser humano…educação física não é saber dar pinos nem cambalhotas, é muito mais que isso…E a nossa pobre escola, oferece desporto grátis para todos através do desporto escolar; Para adultos, o desporto ao ar livre é saudável e grátis…ponham os olhos em países desenvolvidos, como os nórdicos ou Japão por exemplo, onde as pessoas vivem mais anos, porquê? Muito exercício físico, aliado a uma alimentação correta….é disto que precisamos e é isto que a educação física faz….saudo esta medida, o sistema de saúde agradece, pois teremos menos obesos e problemas de saúde diversos…….muita saúde e vida longa para todos.


  2. Eu acho que muita gente não entendeu que este texto é uma crítica a quem desvaloriza a disciplina de Educação Física…

    “Deixem-se de hipocrisias. Em mais nenhuma disciplina, o esforço é tão avaliado como o desempenho final.
    Mas sempre podem fazer uma petição a requerer que a Educação Física tenha como único elemento avaliativo uma “bateria” de testes escritos…”

    • Nuno on 28 de Outubro de 2016 at 0:37
    • Responder

    Estou abismado com tanta ignorância sobre a escola e sobre uma disciplina em particular, e assustado ao mesmo tempo.
    Numa altura em que tanto se compara o nosso ensino com o ensino nórdico, devíamos também fazer como a Noruega que tem aulas de Ed Física 5x por semana ou a suécia com 4x por semana ou então a Eslovénia também com 4x por semana e por aí fora.
    Somos o pais da União Europeia com menos hábitos de atividade física e com 3crianças obesas em cada 5. Que no seu futuro estão muito propensas a ter problemas de saúde relacionados com esta causa. Que é uma das principais causas de morte nos países desenvolvidos.
    Deixo também aqui a informação que estudos recentes efetuados pelas universidades portuguesas, indicam que e a nota da disciplina de EF ajuda a elevar a média da nota dos alunos para ingresso à faculdade.
    A disciplina de educação física tem por objetivo a educação dos alunos através da pratica das atividades físicas…não é só fazer pinos e cambalhotas…é inclusiva, multilateral e eclética.
    Para terminar, gostava que o meu dinheiro como contribuinte não fosse gasto no SNS em despesas médicas para com aqueles indivíduos que devido aos seus hábitos de vida (inatividade física e maus hábitos alimentares) estão com diabetes, tensão arterial alta, problemas de coração e por aí fora…pena não poder decidir por quem realmente padece de doenças como esclerose múltipla, cancro, etc…
    O nosso governo devia ter a coragem do governo britânico, não contribuir financeiramente na aquisição de medicamentos/tratamentos para estes indivíduos.
    Atentamente

      • Fernando Vaz on 24 de Novembro de 2016 at 11:23
      • Responder

      Importância
      da Educação Física e Desporto

      – O cérebro reconhece exercício como stress, e
      liberta substâncias químicas para “proteger” o seu corpo do stress. A
      partir do momento que você começar a exercitar-se é libertada uma proteína chamada BDNF (Brain-Derived Neurotrophic Factor).
      – BDNF protege, mas também repara os neurónios da
      memória no cérebro, o que efetivamente funciona como um botão de reset.
      – As endorfinas (produtos químicos que combatem o
      stress) são libertados no seu cérebro. Endorfinas minimizam o desconforto do exercício, bloqueiam a sensação de dor e dá-lhe uma sensação e bem estar.
      O que não fará a Educação Física.!! Mas Faz:
      • Estimula o crescimento de conexões nervosas.
      • Melhora a cognição através do aumento da produtividade mental.
      • Melhora a nossa capacidade de analisar e pensar.
      • Reforça a nossa visão do corpo e do que o envolve.
      • Aumenta a atenção.
      • Até mesmo os pensamentos mais felizes.
      • ………………(provado por trabalhos científicos)

      É nesta grande caixa (cérebro) que a Educação Física mais interage.

      Atividades de Liderança Vs ser liderado

      Atividades de Cooperação (trabalho de equipe) Vs
      superação individual (vitória / derrota)

      Devemos todos refletir sobre isto…. Ou continuar iguais..!

      Por isto e não só é que devemos defender a Educação
      Física ( Todos os anos de escolaridade “incluindo universidade” / dos 0 anos até aos 95…anos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog