Por Incrível que Pareça

Há professores que já submeteram a sua candidatura, concorrendo em 2ª prioridade, e agora à tarde receberam a informação da escola que deviam concorrer por ausência da Componente Lectiva, 1ª prioridade.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2016/07/por-incrivel-que-pareca/

21 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • J. Gonçalves on 28 de Julho de 2016 at 18:30
    • Responder

    São as “zonas cinzentas” da carreira que criam estas dúvidas ao ponto de submetermos mal ou não se avançar com as preferências…
    Dúvida 1 – QA com CL na escola de provimento, mas sem CL na escola de colocação qual é a prioridade: 1.ª ou 2.ª…? Concorre a qual? Concorre às duas?
    Dúvida 2 – QA sem CL na escola de colocação, mas colocado em MPD ao longo do ano. Qual é a escola de colocação? A de colocação da MI? A de MPD?

      • Ana Gomes on 30 de Julho de 2016 at 11:44
      • Responder

      Colega,
      Para a sua duvida 1 – só pode concorrer em 2ª prioridade, não concorre para 1ª, pois tem possibilidade de regressar à escola de provimento pois tem horario.
      Para a sua duvida 2- se exerceu funções na escola da MPD este ano que passou, então a escola de colocação é a da MPD.

      • Liliana on 31 de Julho de 2016 at 16:07
      • Responder

      Quanto à dúvida 1, da DGAE e do sindicato responderam que deve concorrer em 1ª prioridade pois há uma indicação de ausência de componente letiva.

    • Pedro on 28 de Julho de 2016 at 23:12
    • Responder

    Boa noite, Sou professor do 1º ciclo, no concurso anterior(2015) mudei de QZP para QA. Na escola em que fiquei colocado como QA tive componente letiva este ano letivo e terei no próximo, tendo também exercido o cargo de Coordenador de Estabelecimento que como sabe tem um mandato de 4 anos. Poderei concorrer à MI este ano na 2º prioridade sem ter qualquer penalização pelo cargo que exerci e por “quebrar” o mandato de Coordenador?

    1. sim, claro que podes.

      • Paulo Pereira on 29 de Julho de 2016 at 3:21
      • Responder

      A questão de fundo, neste aspecto, nem tem a ver com o “poder” ou “não poder” concorrer. Obviamente que por questões de lealdade institucional, particularmente em cargos de coordenação de estabelecimento, convém dar a conhecer à Direcção que se pretende concorrer. Segundo o princípio da boa-fé.

      (Lembro isto, pois nos dias que correm a boa-fé está muito mal cotada na Bolsa de Valores éticos…)

    • Eduardo Ramalhadeiro on 29 de Julho de 2016 at 0:24
    • Responder

    Boa noite, na escola onde estou provido não tenho horário, no entanto, na minha escola de colocação sei que tenho horário para o próximo ano. Sou obrigado a concorrer?

      • Ana Gomes on 30 de Julho de 2016 at 11:45
      • Responder

      Depende. Este ano que passou foi colocado por DACL ou por DAR?

        • Ana Gomes on 30 de Julho de 2016 at 11:47
        • Responder

        Se foi por DACL, fica na escola de colocação. Se for por DAR, não pode concorrer nem a DAR nem a DACL, isto é, 1ª e 2ª prioridade.

          • Eduardo Ramalhadeiro on 30 de Julho de 2016 at 12:10

          Bom dia,
          Foi por DACL.

    • Paulo Pereira on 29 de Julho de 2016 at 3:14
    • Responder

    @Arlindo: A velha prática do “voluntariado à mobilidade” que alguns obstinados Directores ignoram, julgando que as listas de graduação é que “mandam”, está bem clara nos meandros do n.º 6 do Art.º 29.º do DL 132/2012, republicado a 23 de Maio de 2014.

    Quanto ao assunto em apreço neste “post”, lembro aos menos avisados que qualquer candidato de QE/QA pode concorrer à mobilidade, simultaneamente na 1.ª e 2.ª prioridades, mesmo que até saiba que está no topo da Lista Graduada.
    O que vai acontecer, caso o Director esteja menos atento, é que se, nesse Grupo de Recrutamento houver um menos graduado sem horário mínimo, quem tem prioridade à Mobilidade é efectivamente o mais graduado que tenha optado por concorrer na 1.ª prioridade. E o menos graduado pode ter a sorte de, afinal, não ser “movido” da escola.
    Se, pelo contrário, houver horários para todos, esse mais graduado, que concorreu na 1.ª prioridade, é elegível a candidato à 2.ª prioridade. Isto se tiver declarado no formulário do concurso que pretende concorrer também na 2.ª prioridade. Pois se não o fizer, e não havendo lugar a mobilidade, fica na escola de origem.

    Desconheço se esta possibilidade acontecia em anos anteriores, mas vendo bem, acaba por dar mais hipóteses a colegas graduados de QE/QA a concorrer.
    E pode muito bem ser uma tremenda ratoeira legal para um Director mais lerdo.

      • Ana Carvalho on 29 de Julho de 2016 at 9:10
      • Responder

      Foi isto que também aconteceu comigo.
      Sou QZP e a menos graduada do meu grupo e o Diretor simplesmente não deixou que a colega mais graduada, que concorre simultaneamente a MPD e à MI na 2ª prioridade, se voluntariasse para ir ela a MI, concorrendo na 1ª prioridade. Resultado, vou-me embora eu, sem necessidade nenhuma porque ela fica sempre colocada em MPD, noutra escola.

        • Paulo Pereira on 29 de Julho de 2016 at 10:45
        • Responder

        Não deixou? Acho estranho, pois isso pode configurar arbitrariedade. Essa colega que concorre a MPD pode também concorrer a destacamento, num processo proforma, em 1a prioridade. A MPD e a MI podem ser objecto de candidatura pelo mesmo candidato. Sendo essa colega a mais graduada, independentemente do Director achar ou não, pode concorrer à 1a e 2a prioridades da MI (Esta possibilidade está explícita no Manual de Instruções da MI).
        E é vantajoso para essa colega, pois se a MPD for indeferida, ainda se mantém no concurso de MI.

        Seja como for, os QZP são obrigados a concorrer a MI, tendo ou não componente lectiva. Portanto, a probabilidade de vir a ser colocado nessa escola,em 2016/17, um colega novo, é grande. Se o QE sai, pode entrar outro QE destacado ou outro QZP.

          • fdoc on 29 de Julho de 2016 at 11:41

          “Seja como for, os QZP são obrigados a concorrer a MI, tendo ou não componente lectiva.” Isso aplica-se apenas aos docentes QZP que obtiveram MPD em 15/16

        1. “os QZP são obrigados a concorrer a MI, tendo ou não componente lectiva.” Isto não é verdade Paulo Pereira. Só os indicados como não tendo o mínimo de 6 horas na escola de colocação é que estão obrigados a concorrer, os novos vinculados e os QZP que foram retirados por colocação em Mobilidades.

          • Paulo Pereira on 29 de Julho de 2016 at 19:33

          Erro meu, confesso. Interpretei mal um texto que li sobre o assunto. As minhas desculpas.

    • Cecília Margarida Leal Sereno on 29 de Julho de 2016 at 10:09
    • Responder

    Bom dia, pelo que li da parte do Arlindo penso que posso concorrer na 2 prioridade, uma vez que sou QA e na escola de Provimento onde me encontro não tinha componente, entretanto ontem enviaram Mail a dizer que já tinha, mas eu, como não sou a menos graduada no grupo, voluntariei-me. Outra questão: o 1 grupo a concorrer é obrigatoriamente o da formação inicial, e como QA tenho sempre de colocar o concelho da escola de provimento, é assim, ou osso colocar outro grupo? Obrigada

    • Gracinda Rocha on 30 de Julho de 2016 at 14:31
    • Responder

    Boa tarde! Sou QZP de Bragança. Mas no ano letivo que agora termina estive colocada por Mobilidade por Doença no QZP do Porto. Qual é código que devo usar no campo 2.2.3? Uma vez que fui informada por parte da Escola a que pertenço em Bragança de que não teria horário. No campo 2.2.2 e no campo 4.1.1 coloco sim ou não?
    Obrigada!

  1. Sou QAE, estou colocado em DAR (2.ª prioridade), através de MI 2015/16.
    A minha escola de provimento não tem CL. A escola de colocação tem CL.
    Recebi carta registada da escola de provimento a informar que tenho que ser opositor ao concurso de MI (enviou essa indicação na ICL1)
    Pela leitura da Nota Informativa MI, interpreto que “não pode ser candidato a MI devendo manter-se na escola de colocação em 2016/2017”
    Estou desde quinta feira a ligar para o CAT do DGAE, sem sucesso.
    Alguém está na mesma situação que me possa ajudar? Obrigado AJ

    • Nanda on 1 de Agosto de 2016 at 15:29
    • Responder

    Boa tarde colega,
    os docentes QE colocados em julho de 2015, ao abrigo da mobilidade por doença, este ano concorrem na 1ª prioridade na mobilidade interna? Ou só concorrem na 1ª prioridade os que não tiverem pelo menos 6 horas na sua escola de provimento? A escola de provimento não é obrigada a distribuir a componente letiva por ordem de graduação? Se no lugar de provimento destes docentes estiverem QZPs menos graduados, para quem é a componente letiva: para o QE destacado em 2015/2016 por mobilidade por doença,ou para o QZP/QE menos graduado, que em 2015/2016 obteve esse lugar na da Mobilidade interna?

    Mais uma questão: os lugares que os docentes em mobilidade por doença ocupam, este ano vão para a mobilidade interna?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: