A Operacionalização da PACC Junto das Escolas

Vimos por este meio informar o(a) Senhor(a) Diretor(a)/Presidente de CAP que, relativamente ao assunto mencionado em epígrafe, se realizará a prova, no estabelecimento que V. Ex.ª dirige, no dia 22 de julho de 2014, pelas 10:30h.
 
Neste sentido, apelamos à sua melhor compreensão, convictos de que desempenhará as funções inerentes à realização da prova com o profissionalismo com que sempre pautou o exercício das suas funções diretivas.
 
Ainda neste contexto, informamos que irá ter lugar uma reunião preparatória pelo que anexamos os seguintes documentos:
1. Convocatória;
2. Manual de Aplicação da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (versão revista e atualizada) de dezembro de 2013;
3. Lista dos candidatos que realizam a prova na sua escola;
4. Modelos de pauta de chamada.
 
Assim, solicitamos a V. Ex.ª que, por gentileza, agilize os procedimentos para a eficaz prossecução do processo, nomeadamente:
 
a) convocar, de acordo com o prescrito na lei, os docentes para o serviço de vigilância, até às 19:00h do dia 17 de julho de 2014;
b) realizar uma reunião com o pessoal docente convocado, na escola, a fim de poder divulgar as orientações prescritas no Manual e outras informações resultantes da reunião com os diretores; c) constituir, caso assim o entenda, um secretariado para a realização da prova;
d) credenciar os docentes encarregues pela receção e devolução das provas. Para tal, deverá preencher o formulário disponível no endereço http://www.dgeste.mec.pt/pacc/login.aspx até às 17:00h, do dia 17 de julho de 2014;
e) afixar as pautas de chamada, até às 12:00h de Portugal continental do dia anterior ao da realização da prova;
f) elaborar as pautas de chamada, distribuindo os candidatos por sala, atendendo aos seguintes critérios: · superior a 45 candidatos – 4 pacotes contendo 20 exemplares cada; · superior a 30 e até 45 candidatos – 3 pacotes contendo 20 exemplares cada; · igual ou superior a 20 e até 30 candidatos – 2 pacotes contendo 20 exemplares cada · inferior a 20 – 1 pacote contendo 20 exemplares.
 
Aproveitamos para lhe dar conhecimento dos contactos do Júri Nacional da Prova: 213938855/52/54/65 e para lhe manifestar a disponibilidade dos elementos que integram este órgão, sempre que necessitar.
 
Conscientes de que esta tarefa constituirá um esforço acrescido, no final do ano letivo, reiteramos o apelo à sua melhor compreensão no sentido de, em conjunto, contribuirmos para a melhoria da qualidade do ensino público.
 
Agradecemos, antecipadamente, a sua atenção.
 
Com os meus cumprimentos,
 
José Alberto Duarte
 
Diretor-Geral dos Estabelecimentos Escolares

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2014/07/a-operacionalizacao-da-pacc-junto-das-escolas/

19 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,


  1. Uma prova na qual só vai constar no concurso 2015/2016. Sem esquecer que a prova especifica vai ser boicotada/greves. Conclusão: em 2015 não vai surgir o campo da PACC na inscrição se existir estes problemas. Em 2015 eleições, logo, mudança de governo e provavelmente a PACC cai por terra. Esta prova é uma teimosia clara por parte do Ministro da Educação!


    1. Não contes que com a mudança de governo a PACC cai.


      1. A Prova vai permanecer mas em outros moldes. No final da licenciatura/estágio a existência de uma prova. Agora quem já leccionou com dias de serviço não faz e nunca fez sentido algum.

          • Pensador on 17 de Julho de 2014 at 17:52

          Faço minhas as suas palavras.

        • Eu e Tu on 17 de Julho de 2014 at 13:58
        • Responder

        Ai não?

        Tem graça que tenho informações que me permitem afirmar o contrário.

        • sandra on 17 de Julho de 2014 at 19:10
        • Responder

        Arlindo por favor esclarece-me…em 31 de agosto de 2013 não tinha os 5 anos por uns dias. Entretanto já tenho…como faço para comprovar que já tenho e que não preciso fazer esta coisa medonha?!?!

    • THIS MORTAL COIL on 17 de Julho de 2014 at 14:04
    • Responder

    Nuno Crato pirou de vez……é uma equação errada na Educação.

    • Supeprof on 17 de Julho de 2014 at 14:38
    • Responder

    Até me deu uma coisa má… o que é isto?! Alguém esperava por isto ou fui apenas eu que fui apanhada de surpresa? Quem faz a prova? Todos os contratados?

      • madalena on 17 de Julho de 2014 at 15:02
      • Responder

      Olha, somos duas!!!! Que é isto!?!?!?!?!?! Daqui a 5 dias?!?!?!?!?!? Isto merecia era alguém levar uma reall carga de porrada!!!!!! ESTOU PARVA!


  2. O problema é a angústia que criam com a ameaça da prova. Para quem já leccionou, não faz sentido existir. E falar de justiça é sempre muito, muito relativo. Quantos milhares de professores entraram na carreira, não tendo formação de base na disciplina que leccionaram ou leccionam e, mesmo assim, nunca foram avaliados com uma prova?! Não há efeitos ‘retroactivos’? Agora, é que é a sério?! Agora é que vão avaliar se se tem ‘capacidade’ ou não para se ser professor?! É uma vergonha… Cada vez tenho mais… … (nem sei a palavra que devo usar) por um país que não reconheço como meu.

    • Pedro Santos on 17 de Julho de 2014 at 14:53
    • Responder

    Eu não vou fazer a prova e, ao estar já de férias, não irei ser convocado para essa vergonha mas não estou de acordo com isto e por isso vinha aqui saber se se está a preparar alguma coisa para bloquear esta história.
    Também acho que o palermas socialista não vão acabar com ela e isso é mais uma razão para guerrilhar o sistema.


  3. alguma estratégia minimamente organizada para lidar com esta Prova-vergonha?


  4. “contribuirmos para a melhoria da qualidade do ensino público”? Em que é que contribui? Se fosse para todos os contratados (já para não falar de TODOS professores) até tinha sentido, agora só para alguns? E com 3 dias úteis de antecedência? O que é que um prof que lhe faltam 10 dias para completar os 5 anos têm a menos que um prof com os 5 anos?! Isto é uma vergonha.


  5. Aqui em casa, não havendo estratégia alguma à escala nacional, estamos a contar com falta à vigilância – com ou sem processo, os superiores que façam também as suas escolhas…
    Para nós será uma medalha negra que teremos gosto em sofrer

      • ferpin on 17 de Julho de 2014 at 19:33
      • Responder

      Se não houver greve marcada, os professores que faltarem à vigilância ficam com um dia de falta injustificada. Ou então, se tiverem amigalhaços médicos, um atestado.

      Se não houver greve, acho que os contratados têm a “obrigação” de armar uma tal confusão que seja necessário as escolas reportarem que a prova não se fez em condições mínimas, ou mesmo que foi cancelada devido a falta de condições.

      Se comparecerem, muito bem comportadinhos, à espera dos do quadro terem falta injustificada para impedir uma prova que o governo pode remarcar já para a semana… estão iludidos.

      Eu perdi um dia de salário (greve) para impedir a anterior PACC, e faço greve novamente caso possa, mas não fico com uma falta injustificada, para impedir uma prova que pode ser remarcada à má-fé pelo governo mais vezes e posso ter que andar a dar faltas injustificadas até ser despedido. Não contem com isso.


  6. Opnião muito pessoal: não recomendo os colegas que têm de prestar Prova a faltarem.
    Se faltar quem vai «vigiar» já é outra coisa

    • Prof on 17 de Julho de 2014 at 18:04
    • Responder

    Os professores que realizam a prova, é na sua própria escola?

      • sandra on 17 de Julho de 2014 at 19:11
      • Responder

      não…é nas escolas que eles indigitaram…a mim querem mandar-me para a outra ponta do distrito…

    • Olga B. on 18 de Julho de 2014 at 12:05
    • Responder

    Para os vigilantes, como eu… parece-me que a minuta do spliu é a única opção (solidariedade) que resta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog