Pedido de Divulgação – Comunicado Pró-Ordem

E eu apesar de não ter grande simpatia por Augusto Santos Silva também corroboro da sua opinião sobre os protestos de ontem nas comemorações do dia de Portugal.

 

Mário Nogueira em vez de reforçar a imagem positiva que os portugueses ainda têm dos professores acaba por a destruir.

E pessoalmente também não me revejo na atitude tomada ontem por Mário Nogueira na Guarda.

 

 

 

140611 Pró-Ordem condena incidente no Dia de Portugal_Página_1 140611 Pró-Ordem condena incidente no Dia de Portugal_Página_2

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2014/06/pedido-de-divulgacao-comunicado-pro-ordem/

22 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • catarina on 11 de Junho de 2014 at 15:10
    • Responder

    Não me revejo de maneira nenhuma no Sr. Mário Nogueira, antes pelo contrário, acho que foi uma atitude vergonhosa(independentemente de partidos!!)
    aquilo não foi uma manifestação foi um acto arruaceiro, não me parece que seja um modo de conquistar seja o que for!


  1. Obrigado, Pró-Ordem! Concordo e revejo-me no vosso comunicado. Os docentes que conheço não se revêem na atitude do Secretário Geral da FENPROF, que se verificou ontem, na Guarda. Como se pode depois exigir respeito se o maior representante sindical dos professores tem uma atitude como a de ontem? O povo da Guarda também não se revê na atitude desordeira dos sindicalistas que ontem mancharam o que era uma festa. O povo da Guarda ainda se sente ofendido, por durante anos os sindicatos não os defenderem em nada e os colocarem em total abandono e, quando tinham um dia de festa, estas pessoas oriundas de Lisboa vieram estragar o que para nós era uma festa. Para além disso, o povo da Guarda, inclusive os docentes repudiam que perante o desfalecimento de um ser humano, independentemente, de este ser o Presidente da República ou qualquer outro cidadão português ou de qualquer outra nacionalidade, não se pare com a manifestação e o barulho, pelo menos enquanto não se tinha conhecimento do estado de saúde do Presidente da República. O povo da Guarda respeita o maior valor que todos devemos ter: o respeito à vida. Sentimo-nos entristecidos quer com este conjunto de pessoas oriundas de Lisboa que não dignificam nem a classe docente nem o ser humano e repudiámos as atitudes que tomaram, ontem, na Guarda.

    • Maria Santos on 11 de Junho de 2014 at 15:24
    • Responder

    Augusto Santos Silva e Filipe do Paulo são dois socialistas. Estão cheios de razão! Pode-se ser anarquista, iberista ou o que se quiser! Mas os comunistas da Fenprof têm de saber respeitar o Portugal independente, as Forças Armadas e o Presidente da República. Não respeitam, sujeitam-se a levar onde não gostam! Para a próxima vão mostrar o rabo como fizeram há uns anos os jovens da “geração rasca”?!
    Mário Nogueira e os seus camaradas até podem ter razão, em matéria de fundo. Perdem-na toda quando não respeitam o 10 de Junho!
    Porque é que Nogueira não foi para a entrada da final da Liga dos Campeões, no Estádio da Luz, ou para a entrada da final da Taça de Portugal, no Estádio Nacional, no Jamor?
    Desrespeitar o 10 de Junho e os símbolos da unidade da pátria foi como dar um tiro no pé!
    Quem é que, a partir deste ato infeliz, toma a sério a luta dos professores? Quando Nogueira gritar “fogo! fogo!” quem o tomará a sério?!…

    • Do não Paulo on 11 de Junho de 2014 at 15:26
    • Responder

    pois… o santos silva, tal com o pinho, claro que se demarcam de atitudes de protesto…

    http://www.noticiasaominuto.com/economia/232474/manuel-pinho-negoceia-reforma-de-3-5-milhoes-do-bes

    • Do não Paulo on 11 de Junho de 2014 at 15:28
    • Responder

    boa observação:

    “Porque é que Nogueira não foi para a entrada da final da Liga dos Campeões, no Estádio da Luz, ou para a entrada da final da Taça de Portugal, no Estádio Nacional, no Jamor?”

    • Luís on 11 de Junho de 2014 at 16:28
    • Responder

    Pessoalmente também não me revejo no comunicado da pró-ordem… Não é o senhor Mário Nogueira que contribui para o desprestígio da classe docente, mas antes todos aqueles que sistematicamente através da sua ação anti-professores têm contribuído para a pouca dignificação da classe, que na globalidade NUNCA FOI UNIDA. Este é um comunicado idiota, como se os portugueses não soubessem distinguir o trigo do joio. Desrespeitosas são estas comemorações do 10 de junho, pois apenas pretendem cumprir o calendário… com almoços e jantaradas e discursos vazios! Vergonha deviam ter esses senhores políticos, que a cada dia que passa afastam cada vez mais a população da participação ativa na democracia e nos empobrecem todos os dias! Pelos vistos, o povo continua a gostar de ditadores… não obstante, a liderança da fenprof deveria ir novamente a votos, com novas figuras capazes de levar a cabo negociações que fossem em benefício de todos. Para além disso, a existência de tanto sindicato só tem demonstrado que na classe docente não se procura um bem comum, mas contrapartidas sectárias! Isto sim é que é desrespeitoso, não as manifestações que são legítimas!


  2. Subscrevo o que disse o Luís…não são às atitudes de Mário Nogueira que desprestigiam a classe docente…é muito mais do que isso!


    1. Concordo com a Ana e com ao Luís.

    • luis on 11 de Junho de 2014 at 17:31
    • Responder

    Muito pelo contrário. Obrigado Mário Nogueira por estares sempre pronto a dar o corpo às balas por todos os professores. Nem dia feriado era mais cómodo ficar em casa a lamentar se e nada fazer.
    Este comunicado é patético e parece ser a manifestação de uma grande dor de cotovelo.


    1. Pois bem Mário Nogueira deveria era ir trabalhar e dar o lugar a uma pessoa mais nova que estivesse, neste momento, numa escola a trabalhar. Alguém que conhecece, verdadeiramente, o dia a dia de uma escola e, não uma pessoa que há mais de 30 anos não sabe o que é ensinar, não conhece as mudanças ao nível da escola (sabe-as apenas teoricamente, falta-lhe a prática!).

    • ULTRALIBERAL on 11 de Junho de 2014 at 17:44
    • Responder

    Essa figura – Mário Nogueira – pode ser caracterizada como cínica, sinistra e de previsibilidade sádica. Acantonado num sindicalismo que professa fundamental e preferencialmente a política da terra queimada, privilegiando o caos e a desordem pantanosa, Nogueira retrata a genuína vocação totalitária e antidemocrática da maior parte dos dirigentes e filiados do PCP, os quais, despidos de argumentos fortalecidos, partem, com frequência, para o insulto barato e para berros histéricos. Perante tal atitude aqueles que os tentam contraditar argumentativamente só têm duas alternativas: ou agem da mesma forma e não se acanham com determinadas personagens, ou, simplesmente, viram as costas e deixam-nos na sua verborreia histérica de sucata ideológica.

    Através dos meus escritos apresentados ao longo dos últimos tempos por aqui, tenho alertado para os perigos de os portugueses confiarem em personagens demagógicas, manipuladoras de propensão antidemocrática, ainda que expressem sonhos democráticos directos. Puro engano. Aquilo que eles professam é o totalitarismo, regimes musculados, segregações de vária índole e miséria abundante. Se as dúvidas pairam sob espíritos menos esclarecidos que seja convocada a História para monitorizar os terríveis acontecimentos e episódios que assolaram o mundo.

    Nem Comunismo, Nem Fascismo, Nem Nacional-Socialismo!

    Abaixo os Partidos Totalitários! Com toda a clareza, considero os seguintes partidos totalitários em Portugal: PNR; PCP-PEV; POUS; PCTPMRPP; BE; LIVRE(???? – há que ler detalhadamente o seu programa e estrutura organizativa, tendo em conta os seus estatutos). A nível europeu cito a título exemplificativo os seguintes: “Podemos” – Espanha – partido recentemente criado, liderado pelo professor universitário Pablo Iglésias da Complutense de Madrid; Grécia – “Aurora Dourada” de perfil neonazi; França – “Frente Nacional” arquitetada por Jean Lepen e em crescendo com a filha Marine Lepen).

    Dito isto, há outras opções partidárias, mas nunca podemos contemporizar com formações políticas de perfil totalitário, xenófobo e de tendência pouco democrática. Portugal e os países europeus não podem cair em erros passados que se traduziram em devastações de profundidade assustadora.

    Viva a Democracia!

    Comigo não passarão!

      • Fisga on 11 de Junho de 2014 at 20:42
      • Responder

      Estavas tão bem calado.

    • Francisco on 11 de Junho de 2014 at 18:13
    • Responder

    A aplicação não está a deixar fazer upload dos documentos…. Tenho o relatório pronto e não sei o que fazer. Docente QA


  3. Pasolini dizia que o problema é confundir-se moral com o olho do cu.
    Um gajo de fato e gravata, falinhas mansas, bem comportado, mesmo que aldrabe, minta, roube ou traia, é um “Senhor”! Um Doutor (por extenso, de preferência).Só pode dar bons exemplos! Especialmente às criancinhas.
    Um gajo que grite na rua o que lhe vai na alma, que use camisa ao xadrez, defenda as suas ideias e chame os bois pelos nomes, pode até ser muito honesto e honrado, mas é um bandalho. um triste exemplo para a Pátria e para os cidadãos!
    Não morro de amores pelo MN, mas não confundam a moral com o olho do cu!
    Bolas, bolas!


  4. Eu revejo-me na atitude dele!

    • José sousa on 11 de Junho de 2014 at 21:32
    • Responder

    O Sr presidente da república sentiu-se mal pelo facto do seu discurso estar a ser abafado pelos gritos dos manifestantes( e não só, muito cansaço e a idade não perdoa…) e como se sentirão as pessoas que no final do mês ,cada vez lhes sobra menos dinheiro para fazer face aos seus compromissos, devido aos roubos que lhes têm sido feitos, muitos deles com a conivência do senhor em questão? Desmaiam também???


  5. Os professores foram condecorados pelo PR? Pois…

    Falta é refilar mais vezes, isso sim. Anda tudo muito mal habituado.


  6. … e já agora, caso o homem fosse ao Hospital da Guarda, gostava de saber se lhe faziam o mesmo que fizeram a minha mãe:
    – pulseira amarela e horas à espera, em condições deploráveis!
    Todos somos iguais. Ou não?

    • Francisco Spínola on 11 de Junho de 2014 at 22:11
    • Responder

    Não concordo com atitudes em que a razão não é explicita e em que se mete no mesmo cesto coisas importantes como o Ensino e interesses partidários como acontece com a Fenprof. Também não me revejo no comunicado da Pró Ordem dos Professores, que de Ordem não tem nada até porque nunca defendeu os interesses da classe. Não passa de mais um sindicato disfarçado, de Ordem de uma classe profissional. Deixá-los andar mas só conseguem alguma coisa daqueles que não se revêm na Fenprof. É um direito democrático a sua existência que todos devemos respeitar mas não correspondem minimamente a uma Ordem com força à defesa dos interesses da classe dos professores. São uma anedota!

    • Prof on 11 de Junho de 2014 at 23:04
    • Responder

    Se são Pró-Ordem é porque são a favor da Ordem dos Professores. A Fenprof é contra, mas não devia ser pois no caso dos psicólogos, médicos e enfermeiros o facto de existirem diversos sindicatos e federações não impede que também tenham a respetiva Ordem. Como estão a formar uma PLATAFORMA PELA ORDEM DOS PROFESSORES que inclui o Sindicato dos Professores do Ensino Superior pode ser que o Governo se decida a autorizar a Ordem dos Professores…


  7. O crato queria um exame para acesso à carreira e todos foram contra. Agora todos são a favor da ordem… Quando criarem a ordem e um exame para aceder à inscrição na mesma… virão todos contra a ordem! LOL

    • Prof on 12 de Junho de 2014 at 15:33
    • Responder

    A Ordem dos Professores será pela valorização ética-deontológica e da imagem social docente, não para fazer os exames do Crato. Por que é que o Governo não dá autorização para a existência de uma Ordem dos Professores????……..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog