Mais Caro Que Uma PACC

E neste primeiro ano de implementação do “exame” de Inglês vai-me caber pagar esses 25€ para a certificação do meu filho mais velho. Mas como a certificação só é feita acima dos 90% vai ser quase um tiro no escuro para muitas famílias.
 
Será que fazem a devolução do dinheiro no caso da nota ser inferior?
 
Mas como baixaram o nível do teste de B1 (9º ano) para o A2 (7º ano) julgo que o objetivo é ficar com os 25€ de toda a gente.

 

25 eurosDiário de Notícias (06-02-2014)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2014/02/mais-caro-que-uma-pacc/

26 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Eu ainda não consegui increver a minha filha ( 9º ano) mas li algures que o prazo acaba amanhã. Serão prazos diferentes?

    1. Para os alunos do 9º ano o pagamento da certificação começa apenas para a semana.

      1. Obrigada.

      2. É extensível aos restantes alunos:
        Formulário a disponibilizar de 12 a 24 de fevereiro
        http://www.keyforschools.iave.pt/form/
        Apesar do documento seguinte, na página 16, dizer que termina hoje o prazo de inscrição para quem não é do 9º ano.
        http://www.keyforschools.iave.pt/pdf/KfS_IAVE_dez2013_VF.pdf

    • Cratovsky on 6 de Fevereiro de 2014 at 23:01
    • Responder

    Devolver? Duvido. O Objetivo mesmo é entrar dinheiro todos os anos…

    • mf on 6 de Fevereiro de 2014 at 23:30
    • Responder

    No site oficial diz: “A obtenção de certificado é opcional para todos os alunos a frequentar o 9.º ano de escolaridade. Os alunos a frequentar outros anos de escolaridade que pretendam realizar o teste tem de proceder à sua inscrição para a obtenção do certificado” mas no link para a inscrição diz – Formulário a disponibilizar de 12 a 24 de fevereiro. Onde viram que o prazo termina amanhã??? Queria inscrever o meu filho de 8º ano e estou confusa! obrigada

    1. A inscrição PARA OBTENÇÃO DE CERTIFICADO decorre online de 12 a 24 de Fevereiro. Nenhum aluno de 9º ano (para estes alunos a inscrição no teste é automática, e coincide com o simples facto de ser aluno de 9ºano) é obrigado a pagar o certificado. Apenas os alunos de 9º ano ou de outros anos que QUEIRAM OBTER O CERTIFICADO devem inscrever-se.

    • Prof on 6 de Fevereiro de 2014 at 23:53
    • Responder

    Já estão a preparar os miúdos para também emigrarem…

    • Ana on 7 de Fevereiro de 2014 at 0:01
    • Responder

    Que ladroagem vai este país…

    • :( on 7 de Fevereiro de 2014 at 0:53
    • Responder

    Há, pelo menos, um instituto de inglês que leva 75 eur para preparar os putos para o exame! (É o milagre económico de que falam…)

    • :( on 7 de Fevereiro de 2014 at 10:41
    • Responder

    Informação nula por parte do Ministério aos próprios professores de Inglês. Se queremos informação temos de pesquisar. Os professores que se inscreveram para formação no sentido de serem classificadores do teste não receberam qualquer feedback e não fazem ideia do processo de realização do mesmo (vão-se especulando umas coisas…). As datas para inscrição têm sido adiadas, daí as informações contraditórias. Pena que as coisas não sejam feitas de forma séria, responsável e com rigor, como aliás quase nada neste país. 🙁

    • isabel on 7 de Fevereiro de 2014 at 12:03
    • Responder

    A mknha pergunta não é irónica:
    Já conseguiram perceber o porquê do exame?

    • Mariana on 7 de Fevereiro de 2014 at 12:38
    • Responder

    O Inglês, quer queiramos, quer não, é um instrumento fundamental para o futuro. Os 25 euros não me parece caro… Com muito sacrifício (sempre é mais útil do que as consolas, etc, etc) já paguei em novembro 90 euros pelo exame de Cambridge. E é o mesmo que os alunos do 9ºano vão fazer! Não se preocupem com o grau de dificuldade, as minhas filhotas andam no 5º e no 6º, não têm o grau de maturidade de alunos do 9ºano e conseguiram… mas se eu sabia tinha esperado que agora é muito mais barato e provavelmente quando andarem no nono obrigam-nas a fazer novamente! Penso que deviam ter esperado mais tempo, dar orientações aos professores e começar no próximo ano!

    • pretor on 7 de Fevereiro de 2014 at 18:39
    • Responder

    Bem por aqui vemos o calibre dos profs portugueses.
    Comem tudo e ainda pagam 25€… so rindo para nao chorar.

    Podem explicar pq serve este pseudo certificado? Para pendurar na porta do quarto? Para ficarem mais vaidosos?
    Acordem….
    É so tiros nos pés.

    • Ana Costa on 7 de Fevereiro de 2014 at 23:21
    • Responder

    Eu também estou confusa…mas para que é um certificado que corresponde a um nível baixo de inglês? Esperam que numa entrevista de emprego alguém dê valor a um certificado ao nível do 9º ano?!?

    • Mariana on 8 de Fevereiro de 2014 at 9:45
    • Responder

    Primeiro, o exame é para os alunos e não professoress! Alguém não percebeu! Depois, a certificação Cambridge tem etapas. Claro que posteriormente haverá outras. Ninguém começa o seu percurso escolar no 12ºano! Enfim, desisto destes fóruns, não se discute seriamente e é tanta a ignorância!

      • Ana Costa on 8 de Fevereiro de 2014 at 10:19
      • Responder

      Eu percebi perfeitamente que é para os alunos. A questão é, à mesma, para que serve aos alunos um certificado de inglês ao nível do 9º ano. Ao nível do 12º, já pode representar alguma coisa e ser uma mais valia para um erasmus, um estágio, um primeiro emprego, mas ao nível do 9º confesso que não percebo a utilidade. Ou a certificação tem de ser por etapas? Não se pode fazer um exame ao nível do 12º sem ter feito os anteriores?…

      1. Claro que pode! Ninguém a obriga a pagar uma certificação deste nível se o seu educando pode fazê-lo mais tarde num nível superior. Estes são os que o governo disponibiliza por enquanto a preços de saldo.
        E para quem ali disse que assim se v~e o calibre dos profs. portugueses, saiba que nenhum professor de inglês foi visto ou achado, neste processo que aparece de surpresa para todos. Aliás, continuamos na nossa grande maioria sem qualquer orientação pratica sobre este processo todo. Tudo o que obtivemos do ministério foram umas pseudo sessoes de esclarecimento que muito pouco esclareceram. Basta dizer que não se sabe ainda como vai decorrer o exame para os alunos com NEEs.

    • mariana on 8 de Fevereiro de 2014 at 10:54
    • Responder

    Penso que a certificação tem de ser por etapas mas posso estar enganada! O exame também é diferente daquele a que os nossos alunos estão habituados. É constituído por três partes, onde a oralidade é obrigatória… Provavelmente, no nono ano, é melhor para se habituarem a um modelo novo e não só no 12ºano… mas eu não sou especialista nesta matéria… apenas quis informar os pais mais preocupados, dada a experiência pessoal. COntinuo a dizer que primeiro deviam ter dado todas as orientaçõe e começar só no próximo ano letivo.

    • mariana on 8 de Fevereiro de 2014 at 10:57
    • Responder

    Também penso que um exame no nono ano a inglês implica que os alunos se esforcem mais… muitos colegas de inglês queixam-se do insucesso… pode ser que os exames os obriguem a estudar como acontece com o Português e Matemática e mesmo assim!….

    • pretor on 8 de Fevereiro de 2014 at 21:09
    • Responder

    Ó mariana pastel, toda a gente sabe que o exame é para alunos.
    Quando eu falo em profs a pagar 25€ , estou a fazer referencia a PAIS PROFS, que são os opinam nos primeiros posts deste tópico.

    E continuo a dizer estes “profs pais” dao tiros nos próprios pés… é a mesma coisa que colocar um filho num colegio privado e dar aulas na escola publica.
    Este certificado é pura propaganda do governo, é fomentar a chulice com os mesmos do costume. Livros, fichas, etc… é €€€€ a entrar nos amigos privados.

    Alem de que… o Crato vai querer mostrar mais uma vez que a escola publica nem ingles, ensina…nao mostrando a realidade do processo, os leigos irão mais uma vez comer tudo.

    • Sónia on 9 de Fevereiro de 2014 at 21:26
    • Responder

    Uma vez que rola por aqui alguma ignorância, convém alertar que:
    – os exames da universidade de cambridge são reconhecidos em mais de 100 mil instituições em todos o mundo;
    – a nível de currículo é preferível, de longe, argumentar que se possui um certificado de cambridge, ainda que seja de nível B1, do que nada, ou apenas referir que se tem conhecimentos em inglês mas nada para provar;
    – alguns alunos atingem o 11ºano com o nível A1 ou A2 de Inglês!!! Logo, o exame testa uma determinada proficiência em Inglês, não sendo propriamente associado a um ano letivo. O ideal será os alunos atingirem esse nível no 9ºano, mas a verdade é que nem todos o conseguem.
    – o Quadro Europeu Comum de Referência para as línguas estabelece como nível máximo na aquisição de uma língua o nível C2. Logo o nível B1 não é tão mau como o pintam…é um nível intermédio. Ponto. Quantos alunos atingem esse nível ao longo da sua escolaridade? Infelizmente poucos.
    – o dinheiro obtido com os certificados (que noutras condições custaria cerca de 80 euros) reverte a favor da fundação Biscaya Barreto.

    Não vejo o porquê de tanta polémica, sinceramente. Apenas a criticar a forma irresponsável com que o governo tem gerido a situação em relação à formação de professores…”em cima do joelho” como se costuma dizer, como de resto, já nos vem habituando.

    1. Concordo consigo sobre a certificação. E sobre a irresponsabilidade e ignorância da realidade no terreno que caracteriza o nosso Ministro. É infelizmente o que temos.

  2. Eu, como mãe prof. que opinei no início deste post apenas quero acrescentar que por enquanto (e até ordem em contrário) ainda gasto o meu dinheiro onde me apetece…. 🙂

    • Maria monteiro on 12 de Fevereiro de 2014 at 14:23
    • Responder

    alguém se questiona o porquê da fundação Bissaya Barreto? Aí é que está o busílis caros amigos! Investiguem e vejam quem está à frente, administradores com ordenados principescos e com processos na justiça duvidosos!
    Quanto aos certificados não estou ainda a ver como míudos do 9º ano avaliados na escola pública por professores da escola pública e programas e metas dispares dos institutos vão avaliar com outro tipo de instrumentos. Porque não colocar os professores do instituto a corrigir as provas, já que recebem 30 Euros por hora para o fazer nos privados(ouviram bem, 30 euros).
    uma professora de inglês do ensino ainda público!

    • Mónica on 12 de Fevereiro de 2014 at 19:32
    • Responder

    Há por aqui algum professor classificador que já tenha ido à formação dada pelo GAVE?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: