Dispensa da Prova Para Quem Tem Mais de 5 Anos

Professores com cinco ou mais anos de serviço dispensados da prova de avaliação, anuncia FNE

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/12/dispensa-da-prova-para-quem-tem-mais-de-5-anos/

51 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Patrícia on 2 de Dezembro de 2013 at 18:06
    • Responder

    NAO, NAO QUEREMOS DESIGUALDADESENTRE COLEGAS!!!!!!!!!!!!!!

    • Goncalo Moura on 2 de Dezembro de 2013 at 18:08
    • Responder

    Neste momento, a prova já pode ter efeitos retroactivos, pondo em causa as expectativas legítimas de formandos e professores, dos candidatos com menos de 5 anos de serviço… É tudo farinha do mesmo saco!

    • Ivone on 2 de Dezembro de 2013 at 18:10
    • Responder

    Concordo consigo. Colegas, sendo nós professoras temos de aceitar qualquer emprego de inserção obrigada

    • Zinda on 2 de Dezembro de 2013 at 18:14
    • Responder

    Se a prova não prova nada, como poderá provar a quem tem 5 anos de serviço incompletos.
    Basta de brincar às escolinhas! Todos contra a prova!

    • Zeca Lima on 2 de Dezembro de 2013 at 18:19
    • Responder

    Dividir para reinar…NÃO!!!! Lançar o caos nesse dia e impedir a concretização desta pouca vergonha.
    Aos colegas do quadro – sejam solidários e façam zelo nesse dia para não roubar o salário de um dia.
    Aos corretores, façam zelo – nota máxima a todos.
    Protesto tem que ser inteligente e servir o objetivo do boicote.

    • Sílvia on 2 de Dezembro de 2013 at 18:22
    • Responder

    Palhaços de merda. Isto é uma grande injustiça, Faltam-me 91 dias para os 5 anos completos. Serei menos competente que um colega que tenha 5 completos? Agora é que já não temos mais hipóteses. Acabou a luta…quem tem menos de 5 anos está em minoria. Obrigado aos sindicatos, ao tribunal constitucional, provedor de justiça…ao ca… do crato.

    • A C on 2 de Dezembro de 2013 at 18:25
    • Responder

    Mas que treta. Eu não tenho + de 5 anos porque ainda não tive oportunidade para isso. Ou fazem todos ou não faz nenhum. Basta de brincar às escolas!

    • Tocas on 2 de Dezembro de 2013 at 18:26
    • Responder

    Boa Tarde,
    Acho que não devia existir prova para ninguém… Contudo, gostaria de vos por uma questão. Faço 5 anos de serviço no final deste mês (estou colocada). Se eu não fizer a prova dia 18, ficarei penalizada e por isso não poderei concorrer no próximo concurso. A questão é: Se houver exame em dezembro de 2014 (data em que já tenho mais de 5 anos de serviço), poderei concorrer na mesma sem realizar a prova? Ou será que para os próximos exames irá contar só o tempo de serviço que temos até agosto de 2013? Será que alguém me consegue esclarecer? Obrigada

    1. Colega, lamento informá-la mas está tramada….

      Se dia 18 não tiver os 5 anos terá de fazer a prova. ( a não ser que a consigamos suspender)

      E se tiver a infelicidade de reprovar, pode dizer adeus ao ensino, pois será ultrapassada por outros nas listas…

      Mas como ex-colega só posso dizer

      Boa sorte

    • Pit on 2 de Dezembro de 2013 at 18:31
    • Responder

    É por estas coisas que a minha opinião sobre os Sindicatos continua a mesma, são uma cambada de vendidos!

    Ainda há poucos dias era “Todos contra a Prova” e agora? E agora?
    Os sindicatos já conseguira virar os Professores de Quadro contra os Professores Contratados, salvando os de Quadro e sacrificando os Contratados (um bom exemplo foi tudo o que se passou com a ADD)

    E agora os Sindicatos até vão tentar virar os Contratados uns contra os outros! VERGONHA! DEVIAM TER VERGONHA!

    E só aqui não digo o que sinto, porque ao contrario dos Sindicatos ainda tenho vergonha na cara!

      • zabka on 2 de Dezembro de 2013 at 18:32
      • Responder

      Não foram os sindicatos, foi um sindicato, a FNE que se vende sempre pelo preço mais barato para parecem responsáveis.

    • Maria Inês Clímaco on 2 de Dezembro de 2013 at 18:36
    • Responder

    Isto é mesmo BRINCADEIRA. A competência avalia~se pelos anos de trabalho???? É ridiculo!!!!! Os colegas que trabalham há 4 anos e sempre foram avaliados com BOM, são menos capazes do que aqueles que trabalham há cinco????? É tudo uma FANTOCHADA. A prova a existir DEVERIA ser para TODOS, inclusive os do quadro ….

      • Miguel Castro on 2 de Dezembro de 2013 at 21:02
      • Responder

      Não seja pateta. A prova não deveria existir e PONTO FINAL.

    • José on 2 de Dezembro de 2013 at 19:02
    • Responder

    Tenho mais de 5 anos de serviço, muito mais, e continuo a julgar que esta prova é além de uma injustiça é também uma marosca. Imaginem que eu este ano tenho 4 anos de serviço e fui colocado até Dezembro de 2013, posso obter não aprovado na prova e concorrer para o ano. E para o próximo ano como já tenho 5 anos de tempo de serviço já estou dispensado e portanto sou um PROFESSOR DE EXCELÊNCIA. Estúpido no mínimo.

    • roma maria on 2 de Dezembro de 2013 at 19:16
    • Responder

    Mais uma vez a ugt, mais uma vez a fne…LAMENTÁVEL!

    • eternamentecontratada on 2 de Dezembro de 2013 at 19:41
    • Responder

    Acabei o curso há 14 anos, tenho 11 de tempo de serviço, mas sinto-me, tremendamente, triste pelos colegas que terão que fazer esta prova ridícula. Por mim, continuaremos a lutar, sinto que é uma enorme injustiça. Não consigo estar feliz.

    • Sofia_220 on 2 de Dezembro de 2013 at 19:57
    • Responder

    Esta notícia causa-me mais NOJO e considero-a uma AFRONTA maior do que a própria prova que em si já é de gritos.

    • AnaD on 2 de Dezembro de 2013 at 20:08
    • Responder

    Estive a ler alguns comentários nas redes sociais. Maioria dos comentários:
    – Ufa, ainda bem que já não preciso de fazer a prova!
    – Valeu a pena!
    – Conseguimos!
    Mas, conseguimos o quê? Conseguiram, isso sim, fugir com o rabo à seringa! Os restantes que se lixem, não é? Eu continuo a ter que fazer a prova! Tenho quase 5 anos,terminei a minha licenciatura há 10 anos. Em algumas alturas, tive que desistir de horários pequenos para trabalhar em shoppings porque o dinheiro não era suficiente para pagar as contas, por isso não tenho mais tempo de serviço. Dei aulas sempre fora de casa, incluindo ilhas, concorro a nível nacional, tenho um trabalho precário nas AEC, estou a concluir um mestrado, pago com o dinheirinho que consegui poupar nos últimos anos, e tenho que fazer a prova?!

      • Ana on 3 de Dezembro de 2013 at 13:46
      • Responder

      Realmente o objetivo é dividir para reinar….e não é que estão a conseguir? Direcione a sua revolta para quem a merece não para os colegas que têm mais tempo de serviço! Mas em que redes sociais é que viu essa maioria de comentários?? A maiorias dos colegas continua a querer lutar contra esta atrocidade, independentemente do tempo de serviço que tem. Ainda não vi um único comentário do desses que fala…Tanto veneno!

    • Tiago on 2 de Dezembro de 2013 at 20:28
    • Responder

    Sabem se os professores com vários anos de servço no privado (+ de 5) mas apenas com 1/2 anos como contratados no público também estão dispensados?

      • tatao on 2 de Dezembro de 2013 at 22:55
      • Responder

      Já devias saber…quando te acabou a mama, passaste a ser como os outros tristes!

        • Tiago on 2 de Dezembro de 2013 at 23:40
        • Responder

        Um pouco mais de respeito não lhe ficaria nada mal!
        Quanto à questão, alguém sabe responder?

    • Savana on 2 de Dezembro de 2013 at 20:31
    • Responder

    Já fui sindicalizada do SPZN e encontrava professores caquéticos na sala de espera por ateliers de pintura, etc., ou inscrições em roteiros turísticos… Hoje sinto-me orgulhosa por pertencer à FENPROF. FENPROF contamos contigo para o que realmente é importante.

    • Mókina on 2 de Dezembro de 2013 at 20:33
    • Responder

    Esta prova é criminosa.. é brincar com a vida das pessoas.. Estudámos e demos provas ao longo do curso ( 5 anos), lecionámos e fomos avaliados e agora jogamos a nossa vida numa prova ridícula que avalia o quê?????? Além disso que divisão é esta na classe??? Só prova que os sindicatos só estão preocupados com o seu “tachinho”…. não defendem ninguém, como é que defendem os professores contratados se aceitam sem constestação esta divisão?????????
    Eu nem sei se tenho que fazer a “prova”… conta o tempo de serviço total ou também fazem distinção????

    • prof on 2 de Dezembro de 2013 at 20:34
    • Responder

    É para isto que servem os sindicatos?
    Para venderem os colegas mais precários?
    Nenhum professor profissionalizado deveria ter que realizar esta prova!

  1. Considero lamentável, inaceitável e vergonhoso que a FNE tenha abandonado a luta pela abolição da PACC, vergados que estão a este inqualificável ministério!
    Como se diz em bom português, uns são filhos, outros enteados. Nenhum sindicato jamais defenderá os interesses de uma classe, quando considera que existem professores de 1ª, 2ª e de 3ª! Do meu ponto de vista, demonstraram o que mais de sabujo existe na sociedade portuguesa!

    • António on 2 de Dezembro de 2013 at 20:47
    • Responder

    A FNE está neste momento a contribuir ainda mais, como sempre, para divisões dentro da classe docente. Não bastava divisões entre os do quadro e contratados, agora entre quem tem cinco anos e quem tem menos de que isso. Este governo não vai ficar por aqui, por isso continuemos com a nossa luta – só descansaremos quando esta prova foi de uma vez por todas ELIMINADA.

    • Miguel Castro on 2 de Dezembro de 2013 at 21:05
    • Responder

    É certo que é uma vergonha a prova continuar a existir, mas sejamos honestos, os colegas com menos de 5 anos anos esperam ter algum horário? Para eles haver ou não haver prova, no fundo irá dar ao mesmo, embora repito, seja moralmente reprovável.

    • Sílvia on 2 de Dezembro de 2013 at 21:19
    • Responder

    Pois é Miguel Castro. quem viu os seus comentários até ao momento…estranho agora essa forma mansa de se pronunciar sobre o assunto. Pois, o problema agora já não toca à maioria dos que até então têm comentado e demonstrado aqui a sua revolta. Assim não vamos longe não. Agora sim já concordo que a prova fosse feita para todos e com obrigatoriedade de aprovação para todos.

      • Miguel Castro on 3 de Dezembro de 2013 at 0:35
      • Responder

      Pronunciei-me de forma honesta e objetiva ao contrário de ti que mudas consoante te convém… aposto que te inscreveste, mas podes apostar que eu não me inscrevi. E não me admirava nada que tenhas sido das primeiras a fazê-lo… afinal a prova podia ser uma salvação para as pessoas que menos hipóteses teriam no concurso… era uma oportunidade de ouro de passarem à frente de alguns na lista…

      E… Sílvia, Sílvia, cuidado com o que pede…. entao agora já quer uma prova para todos? Veja lá se chumbava, direitinha redondinha… é que não saber distinguir o “à” do “há” (comentário mais abaixo), para um professor é deveras lamentável…

        • JA FUI PROFESSOR on 3 de Dezembro de 2013 at 20:13
        • Responder

        Meu amigo por acaso conheço quem esteja a leccionar com menos de 5 anos. não foi com a maior honestidade que respondeu de certeza

    • Helena on 2 de Dezembro de 2013 at 21:20
    • Responder

    Sou educadora de infância licenciada desde 2002.
    O meu tempo de serviço começou a contar nesse ano, pelo que se falarmos em tempo de serviço tenho muito mais que cinco anos: estou no 12.º ano.
    Mas põe-se uma dúvida: os primeiros 7 (que contam para efeitos de concurso) foram prestados numa IPSS e os últimos 4 em escolas públicas, sendo que estou no 5.º contrato com o MEC.
    Não percebi o que está em causa:
    – 5 anos de serviço (e aí já concluí 11);
    – ou 5 anos de contrato com o MEC (e aí só tenho 4 concluídos, estando no 5.º)?
    Alguém me esclarece?
    Sou contra a prova em que condições for e o acordo alcançado hoje não resolve!

    • maria on 2 de Dezembro de 2013 at 21:37
    • Responder

    os profs precisam é de trabalho ,não é do sub. desemprego.vergonhoso…..
    não deixemos acabar a escola publica,muitos precisam dela;;a prova não adianta nada,nem mete medo a ninguem,è injusta.mas a injustiça vai continuar se deixarmos.metem quem querem…como aconteceu nas vergonhosas ofertas de escola e acumala-se tempo de serviço,passando muitos á frente de outros….completam-se horarios….reconduzem quem convem…vale tudo….
    o mal já vem acontecendo há algum tempo,os profs têm-se acomodado….agora temos a recompensa de sermos tratados como descartáveis.

  2. Ou são avaliados TODOS ou NINGUÉM!!!!!!!!!!! NÃO EXISTEM PROFESSORES DE PRIMEIRA, DE SEGUNDA, DE TERCEIRA CATEGORIA E POR AÍ FORA… EXISTEM PESSOAS COMPETENTES E INCOMPETENTES!!!!!!!! A FNE ASSINOU O SEU ATESTADO DE INCOMPETÊNCIA E COMPADRIO!

    • roma maria on 2 de Dezembro de 2013 at 21:52
    • Responder

    O Arlindo ajudou a vender os contratados com menos de 5 anos de serviço. É UM TRAIDOR! FAÇAM UMA T SHIRT~”O ARLINDO É UM DOS TRAIDORES!”

    • Sílvia on 2 de Dezembro de 2013 at 21:54
    • Responder

    Isto é um desrespeito por todos os professores que lecionaram durante muitos anos mas que andaram a tapar buracos. Para isto serviram, agora já não servem mais. A mim faltam-me 90 dias para completar os 5 anos, dou aulas à 5 anos. Enfim, já não há comentários para uma atrocidade destas.

    • Ana Silva on 2 de Dezembro de 2013 at 22:40
    • Responder

    Colegas,
    Tenho mais de 10 anos de serviço, mas não é por isso que estou contente, por isso dia 5 estarei na AR. Gostava de lá ver todos os professores, mas como conheço a desunião desta classe, pelo menos, os contratados, em maior número do que aqueles que têm aparecido nas ações de protesto.
    Já agora, não metam os sindicatos todos no mesmo saco, já que foi apenas a FNE que deixou de se importar com os contratados com menos tempo. A Fenprof continuará a luta, e eu, juntamente com outros colegas com mais de 5 anos, também!

      • Sílvia on 2 de Dezembro de 2013 at 23:59
      • Responder

      Obrigado Ana.

    • Contratado on 2 de Dezembro de 2013 at 22:57
    • Responder

    Ñ me parece que a fne tenha deixado de se importar com os contratados com menos tempo de serviço, a guerra ainda agora começou e ainda há mto a fazer.
    Eu espero é que esta malta que muito fala começe mas é a levantar o rabinho do sofa e pense em lutar pelos seus direitos também na rua, eu quero ver quantos é que vão estar na quinta feira junto à assembleia.

    • 620-EF on 2 de Dezembro de 2013 at 22:59
    • Responder

    Eu era sindicalizado pela FNE, mal vi as declarações dos seus representantes fui logo cancelar o debito directo… tenho VERGONHA de um dia ter sido sindicalizado pela FNE….. Uma vergonha… São uns vendidos…….

    • azevedo on 3 de Dezembro de 2013 at 0:02
    • Responder

    Nenhum professor profissionalizado deveria ter que realizar esta prova. A prova a existir deve ser realizada aos candidatos à profissão.

    • contra on 3 de Dezembro de 2013 at 1:07
    • Responder

    eu tenho menos de 5 anos,mas n vou fazer! Para quê? Sejamos realistas colegas…quem tem menos de 5 anos e até mesmo 6…..nunca mais consegue! Tenho amigas com 14 e 15 e estão no desempregop!”!!!!

      • Miguel Castro on 3 de Dezembro de 2013 at 1:13
      • Responder

      É óbvio! Quem for inteligente é assim que pensa. E assim a prova caírá de forma natural! Mas como na classe há sempre chicos espertos…….

    • Ana Bastos on 3 de Dezembro de 2013 at 10:21
    • Responder

    Para a contagem do tempo de serviço conta o antes a profissionalização, ou é só o após? Quem tiver 5 anos e um dia já não faz a prova?
    Obrigada

      • contratado on 3 de Dezembro de 2013 at 15:30
      • Responder

      Era bem melhor que alguns comentários não existissem por aqui, o antes o após …, alguém deve estar interessado em dar ideias a quem legisla. É melhor aguardar e não falar.
      Cumprimentos

        • Eu e Tu on 3 de Dezembro de 2013 at 16:42
        • Responder

        Dar ideias? Por acaso faz todo o sentido o antes e o após. Principalmente nos casos gritantes de gente que andou em privados anos a fio sem sequer habilitação suficiente e estão, agora, a frequentar cursos que conferem habilitação profissional.
        Ter cinco anos de serviço, concorrendo com uma área profissional e leccionado com HP noutro, não me parece que seja a mesma coisa.

          • Lidia on 3 de Dezembro de 2013 at 19:21

          Não misture as situações.
          Eu dei aulas antes da profissionalização, com habilitação própria, com um curso é creditado pelo MEC. Sempre em escolas públicas.
          Por vontade própria e pagando propinas, licenciei-me em via de ensino, também numa universidade pública.
          O tempo que trabalhei como docente em escolas públicas, colocada em concursos pelo ministério da educação e contratos legais é tempo de serviço docente.

          • Lidia on 3 de Dezembro de 2013 at 19:22

          *com um curso que é creditado

    • Carlos Plágio on 4 de Dezembro de 2013 at 9:38
    • Responder

    http://www.publico.pt/sociedade/noticia/a-morte-da-prova-1614891

    • Maria Rosa on 4 de Dezembro de 2013 at 15:33
    • Responder

    Eu tenho mais de 5 anos de serviço e paguei 50 euros para esta chachada… É lógico que já não vou fazer prova nenhuma, mas e o meu dinheirinho?

  3. será que me podem ajudar? tenho 7032 dias antes da profissionalização (19 anos ) e 400 dias após. O tempo de serviço antes da profissionalização conta para os tais 5 anos que são necessários para a isenção da “criminosa prova” ? Agradeço a quem me conseguir responder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog no Facebook