Há Uma Manifesta Impreparação

… das escolas para tomarem decisões tão importantes para a vida dos professores como seja a contratação dos docentes ou até mesmo o simples processo de validação de candidaturas. Nem falo do processo de avaliação de desempenho porque ainda é cedo para isso, mas lá chegarei também.

Como já se viu no post anterior cada escola opta pela sua interpretação na questão das validações das candidaturas.

Ao longo do ano lectivo fui dando conta de escolas que pediam o tempo de serviço até 31/08/2012 mas depois da polémica que se tornou pública com a publicação pela DGAE da nota informativa de 30 de Janeiro nunca pensei ver alguma escola após essa data a pedir o tempo de serviço até 31/08/2011.

Mas existe.

O que faz desacreditar todas as tomadas de decisões que competem a cada uma das escolas.

 

200 20031082011

 

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/02/ha-uma-manifesta-impreparacao/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Miguel Castro on 13 de Fevereiro de 2013 at 20:18
    • Responder

    É curiosa esta certificação por parte das escolas da candidatura.
    Se houver erros na candidatura e a escola tiver validado, o culpado é sempre o candidato. A escola nunca será penalizada. Então para quê esta validação da escola?

    Exemplo concreto.

    Tempo de serviço mal contado.
    A escola valida o tempo.
    Há denúncias. A DGAE apura que o tempo foi efetivamente mal contado.
    O candidato é excluído. De quem é a culpa?
    Do candidato!!!!!!
    Então para que serve a validação por parte da escola?


    1. Miguel,
      Como é sabido, a responsabilidade pela validação dos dados está incumbida ao Diretor, as penalizações existem, estão previstas! Contudo, não é público que algum ainda tenha sido “penalizado”.
      A escola é chamada à atenção! E sei que em 90% das escolas que conheço, é o Assistente Técnico que valida, sobre indicação do Coordenador Técnico (chefe) … se sabe o que faz, não comento!

      Assistente Técnico.

        • Miguel Castro on 13 de Fevereiro de 2013 at 23:29
        • Responder

        O diretor pode ser (teoricamente) penalizado, mas quem fica excluído e esse sim mais penalizado do que nunca é o candidato que se vê excluído do concurso e sem possibilidades de lhe ver reconhecida razão..

    • maria on 13 de Fevereiro de 2013 at 20:43
    • Responder

    para irem colocando quem querem…salve-se quem puder..
    vergonhoso estas atitudes,

    • GTC on 13 de Fevereiro de 2013 at 21:08
    • Responder

    Boa noite. Eu concorri a esse horário, mas com o tempo de serviço até 31/08/2012, serei desclassificado por causa disso? Sendo desclassificado que medidas poderei tomar?
    Não faz qualquer sentido isto :S
    Grato pela ajuda.

    • Sofia on 13 de Fevereiro de 2013 at 21:18
    • Responder

    Não é caso único. Há outro, para o grupo 910: «Critérios de seleção:
    – Graduação Profissional (com ponderação de 50%),
    o tempo de serviço a considerar reporta-se a 31 de agosto de 2011 e
    – Avaliação Curricular (com ponderação de 50%).
    Subcritérios da Avaliação Curricular (a data de referência para os subcritérios é 31-8-2012)
    Habilitação académica (qualificação profissional para a docência e curso de pós graduação
    em necessidades educativas especiais) -ponderação 15%,
    Experiência profissional em escolas integradas no projeto TEIP (n.º de dias) –ponderação 20%,
    Avaliação de desempenho no ano letivo 2011-2012 -ponderação 15%.»
    Esta informação esteve até hoje no aviso de abertura, que entretanto ganhou uma «NOTA» rectificativa (a vermelho, para se ver melhor!!)

    • GTC on 13 de Fevereiro de 2013 at 21:23
    • Responder

    Será que não rectificaram esta informação utilizada nos outros concursos antes da nota informativa e nem se aperceberam?

    • Sónia santos on 13 de Fevereiro de 2013 at 21:41
    • Responder

    Agrupamento de Escolas Aquilino Ribeiro, em Oeiras

    Entrevista de Avaliação de Competências (subcritérios):

    1.Experiência profissional em escolas TEIP 15
    2.Cargos desempenhados e/ou coordenação de projetos 10
    3.Contributos para a concretização do projeto educativo do agrupamento no ano letivo 2012/13 15
    4.Formação adquirida em áreas relevantes para o trabalho em contexto escolar 10

    O ponto 3 causa-me alguma perplexidade! Isto é normal?

    • maria on 13 de Fevereiro de 2013 at 22:42
    • Responder

    A escola pública está a ficar com falta de ética, de integridade… TUDO VALE. Denúnciar à inspecção …. urge pedir explicações ao Ministro/Ministério. Todos os dias temos escola a trabalhar como querem …. será isto a autonomia. Imaginem só o que está par chegar…. A única forma de alterar estes abusos e o não cumprimento da Lei e denunciar à Inspecção/Ministério e “obrigar” (sindicatos) o Ministro Nuno Crato a tomar medidas concretas. Será que o Ministro não toma medidas e deixa a bagunça continuar ?????

      • Alberto on 14 de Fevereiro de 2013 at 9:18
      • Responder

      E quem diz que o cRato não é parte interssada nessa bagunça?!…


  1. Acham que a inspecção neste momento faz alguma coisa? Já viram algum diretor castigado pelas asneiras que cometem. Já se esqueceram que alguns diretores, por incompetência, colocaram nas escolas, em setembro,professores em duplicado, que neste momento continuam sem componente lectiva?
    Continuem a creditar na inspeção…

    • maria on 14 de Fevereiro de 2013 at 21:15
    • Responder

    estamos entregues aos bichos….hoje,não há direitos,nem sorte,há PODER.
    INFELIZMENTE,É ASSIM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog