Não Podia Deixar de Colocar Parte do Preâmbulo

… do diploma de vinculação.

 

vagas

Fica então aqui neste post a graduação do último candidato no ano lectivo 2012/2013 por grupo de recrutamento de acordo com o número de vagas abertas em cada um dos grupos para se verificar o absurdo do esforço:

100: 36,467

110: 29,488

200: 27,973

210: 29,501

220: 26,885

230: 26,452

250:  32,075

260: 29,321

300 – 31,695

310 – 28,571

320 – 32,823

330 – 36,153

350 – 22,418

400 – 33,419

410 – 31,511

420 – 27,562

430 – 32,721

500 – 25,322

510 – 25,421

520 – 25,621

540 – 35,905

550 – 24,096

560 – 25,092

600 – 37,789

620 – 25,505

Grupos da Educação Especial: Não vou produzir dados sobre estes grupos pelas razões que apontei num dos posts anteriores.

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/01/nao-podia-deixar-de-colocar-parte-do-preambulo/

9 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Matilde C. on 24 de Janeiro de 2013 at 18:29
    • Responder

    Estranho e desolador é lutar contra as cunhas nas contratações de escola quando anos a fio se permite que quem vincula é quem fez o esforço de trabalhar no público “uns dias”, nada comparáveis com 17 anos… Vêm alguns com a conversa que havia duas prioridades (fictícias digo eu…e com o 132/2012 será o caos). Quem está a conseguir as colocações nas CE a partir de janeiro são os da 1ª prioridade? Não… E foi sempre assim, desde há muitos anos. Pois, às vezes entrar pela porta de trás é o percurso mais rápido para o banquete… Quem permite que isto aconteça? Eu sei a resposta, mas não quero dizer…

    Depois do desabafo quero dizer que o Arlindo devia ser reconhecido por toda a comunidade educativa como um “herói nacional” (não estou a dar graxa, não preciso), sem ele a nossa vida seria bastante pior, perdidos no meio deste emaranhado de injustiças, erros e trafulhices… Obrigada!

      • Matilde C. on 25 de Janeiro de 2013 at 11:30
      • Responder

      Tenho algo a acrescentar… O E-bio seria uma excelente oportunidade para que fosse feita alguma justiça neste antigo esquema tenebroso de “safe-se quem puder”. Devia ficar registado o tempo de serviço no privado em separado do tempo de serviço prestado no público. Pode ser que um dia (ainda que longínquo) este MEC (ou outro vindouro) reconsidere este aspecto justo da primeira versão para a VE, se nada nem ninguém o impedir…

    • Prof.ª (Des)empregada on 24 de Janeiro de 2013 at 18:35
    • Responder

    O MEC deve ter um dicionário diferente para a palavra “valorização”!


  1. Arlindovsky , devia constar o número de anos ao lado de tempo de serviço. Pois nós sabemos o que é a graduação! Mas os jornalistas e outros não sabem 😉

      • C3PO on 24 de Janeiro de 2013 at 22:19
      • Responder

      Sim a colega n.º 64 do 500 tem apenas quase 13 anos de serviço….

    • JoanaJoana on 25 de Janeiro de 2013 at 0:59
    • Responder

    Tenho uma ENORME dúvida quanto a um aspeto que faz toda a diferença (não para mim, mas para quem ao ver estes números tiver a vaga esperança de vincular). Está aqui a ser tido em conta que praticamente ninguém que trabalha no público vai vincular porque vamos ser todos ultrapassados pelos colegas do privado? Ou acham que eles andam a dormir? Deixámos todos que a lei fosse alterada, as manifestações têm sido um quase deserto a nível de profs contratados (eu sei, porque vou sempre), na comunicação social não se fala sobre esta manobra de contornos políticos tão pouco digna, os sindicatos estão mudos e quedos e agora esquecemos-nos disso. Sou sindicalizada mas às vezes custa-me tanto ver dinheirinho tão mal empregue…

    • Ricardo on 25 de Janeiro de 2013 at 2:02
    • Responder

    Arlindo, para informar mais colegas que estão mt confusos em relação à graduação para a EdEspecial por causa deste novo despacho, agradecia que abrisse um post apenas para este tema. É que como mts colegas se calhar não sabem, a própria aplicação dá erro qd por exemplo, no meu caso, tento colocar o meu tempo de serviço antes da profssionalização. Não aceita um número de dias tão elevado. E mais, a Especialização não é uma Profissionalização, logo, como consta na lei, continuarei a colocar todo o meu tempo de serviço APÓS a profissionalização que tirei de base. Este despacho 866 foi encomendado, feito às sete pancadas, redigido de forma dúbia, como qq bom advogado terá o prazer de concluir ao lê-lo! Isto tem de ser revogado..não tem pés nem cabeça!

    • Throttle.man on 25 de Janeiro de 2013 at 22:14
    • Responder

    Tenho vontade de dizer uma serie de palavrões, sou Humano, mas vou conter-me… fizeram um tremendo trabalho?!?! Como é que é possível que exista um número tão ridículo de lugares para o grupo 110, a norte, quando eu sei que, só num agrupamento vão sair 7 colegas aposentados!?!

    Isto é mais que vergonhoso… e aquele senhor que não me apareça à frente!

    • ana on 27 de Janeiro de 2013 at 16:50
    • Responder

    Arlindo, colocou a graduação de 2012/2013, do último candidato, por grupo de recrutamento, segundo as vagas apresentadas. Este concurso extraordinário, a fazer-se agora, não contará com o tempo de serviço a 31 de agosto de 2012? Se assim for, sei que haverá alterações porque há pessoas com as graduações mais altas que no ano passado só ficaram colocadas em OE depois de janeiro e na próxima lista de ordenação terão pessoas à sua frente que até aqui não estavam.

Responder a Throttle.man Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog