Denúncia

… que é mais uma sobre a questão do tempo de serviço nas contratações de escola.
Mas mesmo que sejam anulados os candidatos que passam à entrevista coloca os não seleccionados que prestaram declarações verdadeiras como ausentes dessa fase.
Tudo seria mais simples se a graduação aparecesse automaticamente na aplicação das contratações de escola.
Envio este mail para dar conta de mais uma situação de contratação de escola, neste caso, para uma vaga de Filosofia/Psicologia no grupo 410, para a ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTA MARIA MAIOR, em Viana do Castelo, em que, pelo menos dois dos candidatos que foram selecionados para a entrevista final, segundo deduzo, estão a concorrer ou com a graduação de 31 de Agosto de 2012, em vez de corretamente com a de  31 de Agosto de 2011, ou então mentem relativamente ao tempo de serviço declarado na aplicação informática.
Assim:
– O candidato:  XXXX, com a graduação final neste concurso de 26,673, é o número 188 da Lista Definitiva de não Contratação do Grupo 410 FILOSOFIA, que como se pode verificar não corresponde a graduação de 26,673.
– A candidata: XXXX,  com a graduação final neste concurso de 26,533, é o número 904 da Lista Definitiva de não Contratação do Grupo 410 FILOSOFIA, que “escandalosamente” está em terceiro lugar para a entrevista, estando muito longe de ter a graduação de 26,533.
Detetei esta situação, porque estou também a concurso e saio lesado visto assim não me terem contactado para a entrevista. Já liguei para esta escola, falei com alguém da Direção, que automaticamente declinou qualquer responsabilidade na fiscalização destes dados já publicados na Lista final.
Em anexo envio:
– Lista ordenada dos candidatos relativa ao suprimento de necessidade temporária no Grupo 410 publicada no site da Escola Secundária de Santa Maria Maior em Viana do castelo.
Agradeço a tua melhor atenção na análise de mais este caso e se entenderes necessário a sua publicação no teu BLOG.
Cumprimentos.
Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/01/denuncia/

19 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • M.Fátima Pereira on 27 de Janeiro de 2013 at 13:02
    • Responder

    Colega
    Aconteceu a mesma coisa comigo. tb sou de filosofia e a tempos houve uma vaga para a E.Sec. Pedro Alexandrino. Descobri que a colega que ficou em primeiro lugar e mais 3 colegas , tinham colocado o tempo de serviço até 31 de agosto de 2012. Denuncieio caso à Diretora que muito amavelmente me remeteu para o aviso de abertura do concurso, onde estava expresso que quem fizesse falsas declarações seria imediatamente excluido. Isso mm veio a acontecer com a colega que ficou em primeiro lugar, sendo colocada a que estava em segundo lugare que tinha posto o tempo de serviço correcto.
    De facto a colega que ficou em primeiro lugar a exemplo de outros colegas da lista e que estavam à minha frente tinham colocado o tempo de serviço até 31 de agosto de 2012, ou seja foram contra o Decreto Lei que regula as ofertas de scola no que respeita ao tempo de serviço. Fiquei muito satisfeita porque verifiquei ainda haver directores que cumprem a lei. aconselho o colega a escrever um email á diretora e caso não obtenha resposta escreva para o IGE a denunciar o caso. o colega que na lista graduada tem o numero 188 fez o mesmo nessa oferta de escola da escola sec. pedro alexandrino, posto que tb ai colocou o tempo de serviço até 31 de agosto de 2012. temos que respeitar uns aos outros, porque isto não é uma selva. faça valer os seus direitos, tal como eu fiz valer os meus e apesar de não ter ficado colocada poruqe não estava nos 5 primeiros, fiz valer aquilo a que temos direito. boa sorte!

      • Kika on 27 de Janeiro de 2013 at 21:28
      • Responder

      Realmente é lamentável o que está a acontecer relativamente ao tempo de serviço a considerar para as contratações de escola. Os agrupamenos estão a notificar a primeira tranche de cinco candidatos exclusivamente pelos dados obtidos através da plataforma e não vão confrontar os dados com as listas de ordenação nacional. Logo que haja um candidato, entre os primeiros, que tenha prestado falsas declarações com seu tempo de serviço,mesmo que venha a ser excluído, já está a prejudicar, impossibilitando o acesso à entrevista/ análise curricular, por exemplo do colega que está na 6ª posição e procedeu legalmente aquando da introdução do seu tempo de serviço.


  1. Também estive a verificar as graduações desta lista e acho absolutamente inacreditável continuarem a existir colegas que colocam erradamente o tempo de serviço. Não acredito que seja má fé, pois estes casos são sempre denunciados e quem comete o erro nunca é beneficiado, mas penso que é falta de conhecimento, o que considero igualmente vergonhoso.
    Será possível que estes colegas não se preocupem em procurar a informação, não saibam ler o que está escarrapachado na página de DGAE? A pena para estes casos deveria ser a impossibilidade de concorrer a mais concursos durante o presente ano letivo por falsas declarações. Não precisamos de analfabetos funcionais na profissão.
    Contudo, quanto à denuncia em concreto, só queria informar que num dos casos o tempo de serviço está de facto mal identificado, mas no caso da colega que é o 904 não há qualquer irregularidade: a colega está em segunda prioridade, mas o seu tempo de serviço está devidamente indicado. Nestes concursos de CE nada é dito acerca das prioridades, nem estas são tidas em conta. Não acho justo, mas não me parece que haja algo a fazer.

    • Pedro on 27 de Janeiro de 2013 at 14:21
    • Responder

    Que ninguém fique calado. Contactem a escola e caso a situação não seja legal, denunciem às entidades que já conhecem. Com tanta reclamação um dia esta palhaçada das contratações acaba.

    • manuel on 27 de Janeiro de 2013 at 15:02
    • Responder

    Está a acontecer um pouco por várias escolas. Por ex: na escola de Pedrouços Maia, para um horário do grupo 110, ficou uma colega (Anabela de Sousa Martins) que concorreu com tempo de serviço até agosto de 2012.
    Já reclamei com a escola, mas não tiveram a dignidade de dar explicações.

    • Damião on 27 de Janeiro de 2013 at 15:22
    • Responder

    http://www.spn.pt/?aba=27&mid=115&cat=193&doc=3236

    • maria on 27 de Janeiro de 2013 at 15:52
    • Responder

    fazem o que querem e quem não tem …..,vai ficando á espera.
    os responsaveis das escolas ,não podem continuar só a receber mais um complemento de ordenado equivalente ao ordenado dum contratado,têm que ser responsabilizados pelas injustiças que ocorrem.
    pode haver enganos,esses devem ser esclarecidos e fazer cumprir a lei.

    • Rosa Maria Gomes on 27 de Janeiro de 2013 at 16:07
    • Responder

    Caríssimos colegas.
    fui contratada na semana passada por uma escola que abriu concurso no grupo X e em cujo aviso de abertura (janeiro de 2013) se referia expressamente que o tempo de serviço a considerar seria o que fosse contabilizável até 31-8-2012, que é precisamente o que dispõe o decreto-lei que enquadra estes concursos.
    Vêm para aqui choramingar mas não percebo porquê. aliás, não percebeo patavina do que vocês dizem. Queriam que se contasse o tempo até ao penúltimo ano anterior ao concurso, é isso?
    Porquê?
    Complicam tanto que até me parecem sindicalistas.

      • Prof. on 27 de Janeiro de 2013 at 17:56
      • Responder

      Rosa Maria Gomes, não sabe o que diz, nem provavelmente diz o que sabe!!! Informe-se devidamente e verá que a legalidade corresponde mesmo ao tempo de serrviço de 31 de Agosto de 2011. Portanto se foi colocada com o tempo de 2012 está mal colocada… o melhor é nem levantar muitas ondas, pois alguns que foram colocados dessa forma tem visto o concurso anulado e obviamente tem de abndonar o lugar. Informe-se bem, leia todos os apendices à lei geral e verá que não tem razão!

      • sofia on 27 de Janeiro de 2013 at 21:42
      • Responder

      Rosa Maria, mais ainda se colocou o tempo de serviço até 31-8-2012 é porque não tem sempre anos de serviço completos, caso contrário a própria aplicação não o permite. Mais uma injustiça…


    1. Vimos para aqui CHORAMINGAR? Ó colega, tenha mas é vergonha!
      O que todos queremos é trabalhar, tal como a colega, e não ser ultrapassados por injustiças. Então se a colega foi colocada com o tempo de serviço de 2012, com certeza ultrapassou colegas com mais tempo de serviço, que talvez nem tenham tido a oportunidade de ir à entrevista porque cumpriram a lei. ACHA JUSTO?

      • manuel on 28 de Janeiro de 2013 at 14:34
      • Responder

      “Colega” Rosa Maria! És uma das que prevaricou e tirou benefícios disso. Será que foi apenas por teres colocado o tempo de serviço a mais do que a legislação diz, ou foi teres colocado a mão no diretor? Tem vergonha e pensa no que dizes.

    • bia esteves on 27 de Janeiro de 2013 at 20:57
    • Responder

    A COLEGA ROSA MARIA GOMES (que é professora e por isso sabe ler, escrever e contar) DEVE IR À PAGINA DA DGRHE E LER O DECRETO LEI QUE REGULA AS OFERTAS DE ESCOLA. LÁ ESTÁ EXPOSTO QUE O TEMPO DE SERVIÇO EM OFERTAS DE ESCOLA NESTE ANO LECTIVO DE 2012/2013 É O TEMPO DE SERVIÇO ATÉ 31 DE AGOSTO DE 2011 E NÃO 2012!!!!
    OUTRA COISA:
    É BOM QUE TAL COMO DISSE A COLEGA ANTERIOR, NÃO LEVANTE MUITAS ONDAS PORQUE QQ COLEGA QUE CONHEÇA A LEI PODE DESTITUI-LA DO SEU LUGAR VISTO ESTAR COLOCADA DE UMA FORMA ERRADA. ESTÁ A COLEGA E ESTÁ QUEM A COLOCOU, OU SEJA A DIRECÇÃO DA ESCOLA.
    NÓS NÃO SOMOS SINDICALISTAS, SOMOS COLEGAS QUE SABEM DA LEI E A PROCURAM CUMPRIR!

    • Zé Filos on 27 de Janeiro de 2013 at 21:04
    • Responder

    A vergonha continua… este país parece uma democracia africana. As ofertas de escola sempre são aquilo que parecem. Um circo. Não seria mais fácil continuar as colocações com as RR? Não seria mais justo submeter as vagas das escolas com autonomia às RR? A graduação profissional serve para quê? É justa quando nos coloca à frente de muito candidatos, e com isso nos coloca nos 5 que são chamados para entrevista, mas depois é injusta na entrevista pois dá jeito ultrapassar os outros 4 candidatos. Enfim, é só lógica e coerência dos chicos espertos. Como é possível seleccionar 5 candidatos e depois em entrevista escolher o último? Se calhar os 4 primeiros embora mais graduados revelaram atraso mental ou outra doença do foro psíquico. Aconteceu esta semana num concurso de oferta de escola. Um verdadeiro insulto à inteligência humana. Colega denuncie, reclame e não se deixe enganar.

    • Rosa Maria Gomes on 27 de Janeiro de 2013 at 21:05
    • Responder

    Era melhor que o “Prof.” demonstrasse onde é que eu estou enganada em vez de estar a surfar nas ondas…

    • Rosa Maria Gomes on 27 de Janeiro de 2013 at 21:07
    • Responder

    E o país ganhava um pedacinho se a bia esteves soubesse ler

      • 31 agosto 2011 on 27 de Janeiro de 2013 at 21:51
      • Responder

      Ohh Rosa olhe que realmente você não tem razão e que quando lhe dizem para não “levantar ondas” decerto é mesmo o melhor conselho que lhe estão a dar, pois se realmente colocou o seu verdadeiro nome e não uma alcunha, pode tornar-se fácil a denuncia da sua colocação e a correr como tem corrido as denuncias feitas anteriormente desta mesma situação do tempo de serviço errado, pode vir a ver a sua colocação anulada. Não peça às pessoas que a informem, vá “escarafunchar” como todos os que estão informados desta situação e vai ver que há realmente legislação posterior á lei geral que define muito claramente aquilo que aqui é afirmado por outros colegas outra prova disso se for investigar, e olhe este blog nisso pode dar-lhe uma excelente ajuda, verá que já vários concursos de oferta de escola foram anulados por causa deste problema. Ainda tem dúvidas??? Mande um mail à IGE a colocar a questão elese respondem-lhe…

    • Lex dura lex on 28 de Janeiro de 2013 at 10:14
    • Responder

    É incrível a leviandade com que algumas Direções das Escolas elaboram esta lista final de onde saem os 5 candidatos à entrevista, limitam-se a fazer um “copy” “paste” manhoso dos dados fornecidos pela aplicação informática, não se importando nunca em previamente confirmar a veracidade dos dados desses mesmos candidatos á entrevista. Utilizando uma analogia, eu diria que, as direções das escolas que procedem desta maneira pouco profissional e até inocente, estão a meter o “ladrão” dentro da própria casa, criando um embroglio que prejudica em 1° lugar os alunos, que caso o concurso seja anulado, ficam mais tempo sem aulas, depois a imagem funcional e administrativa da própria escola e claro como é óbvio neste e em varios outros casos, a vida das pessoas que concorrem corretamente a estas ofertas de escola. Claro que a responsabilidade não se fica apenas pelo papel de “júri” que compete as direções das escolas, uma quota parte da culpa está do lado daqueles docentes contratados que ao aperceberem-se dos “buracos” da aplicação informática e da inocência com que as escolas tratam este assunto, decidem arriscar tudo e numa atitude tipicamenta Portuguesa de “chico-espertismo” tentam indiscriminadamente passar por cima de colegas que éticamente concorreram de forma correta. O M.E.C. em última análise é o principal fumentador desta situação de injustiça, de promoção de valores anti-democraticos e de criar mais uma situação que viola profundamente os valores mais básicos da nossa Constituição. Termino lançando um apelo, não só a este colega que comprovadamente está a ser prejudicado, mas a todos os outros para que não baixem os braços, lutem pelos vossos direitos, lutem por uma sociedade mais justa, Denunciem todos os casos idênticos a este de que tenham conhecimento. Só assim se fará cumprir o designio de qualquer sociedade civilizada e humanizada.

    • marco on 28 de Janeiro de 2013 at 11:02
    • Responder

    bom dia!!

    realmente é uma curiosidade minha, qual o tempo de serviço a concorrer pois já ouvi as duas versões, e já vi ofertas a pedir exclusivamente o tempo de 2011 e outras o tempo de 2012.

    Já tive respostas de sindicatos a dizer que era de 2011 e outro que era que 2012.

    Conclusão: andamos aqui perdidos… Eu ando a concorrer com o tempo de 2011, espero que seja assim o correto…

    Mas em vez de discutirmos só o tempo de serviço, devíamos discutir a proveniência dos professores, pois há muito professor que tirou o seu curso numa privada, onde nada aprendeu e saiu com grande média.

    Esses passam à frente de muitos professores e não vejo uma viva alma a reclamar disso.

    Da mesma maneira que houve colegas que tiraram a PG em ensino especial em 4 a 6 meses, nada sabem e tiram agora o lugar a colegas com anos de experiência e gosto pelo EE que infelizmente têm graduação mais baixa.

    Colegas estes também são problemas pelos quais nos devíamos queixar, lamentar e pensar em fazer algo para mudar isto…

    Sem uma ordem dos professores não vamos lá.

    boa sorte a todos

Responder a Lex dura lex Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog