«

»

Jan 19 2012

Imprimir Artigo

Pouca Vergonha

No fim o reles funcionário público será o único a ficar sem os subsídios.
O Paulo mostrou-o aqui.

Isto não é foto-montagem nem o documento é do ano passado. Foi publicado hoje mesmo em Diário da República e foi dado despacho no dia 11 de Janeiro de 2012.

NOTA: Adenda a este post aqui

Seguir:
Seguir:

Textos mais recentes de arlindovsky (ver mais)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2012/01/pouca-vergonha/

  • Daniela Lopes
    Sinto uma revolta muito grande por ser considerada uma portuguesa de segunda. As medidas de austeridade não são para todos, disso tenho a certeza absoluta. Estes políticos podiam ter vergonha de não serem capazes de impor igualidade no que respeita às medidas de luta contra a crise, que na minha opinião não passa de uma cavala contra todos os portugueses. Vamos acordar e lutar, somos capazes!
  • Bruno Ribeiro
    Não vejo onde está a razão do sublinhado. A senhora vai receber prestações suplementares e vai efectuar os descontos legalmente previstos sobre elas. Não será assim? Estou só a perguntar…
    • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
      Também não vejo qualquer problema se aos funcionários públicos com rendimentos acima dos 1000 euros não fossem retirados em 2012 e 2013 os abonos suplementares, digo subsídios de férias e natal.
      • Anita
        Não vês qualquer problema???Então é aos que ganham mais e têm mais recursos que não se deve tirar???E tirar aos que ganham menos e per conseguinte têm com certeza mais dificuldades financeiras???Pois deves ser um desses funcionários que ganha acima de 1000 euros!
        • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
          Leste bem o que escrevi?
    • Anita
      Bruno,isto é mais uma maneira da respectiva sra contornar o problema da perda dos subsídios,pois ela desconta o sub. de natal e o de férias,mas recebe este abono suplementar que ao fim ao cabo é como se lhe devolvessem os sub.que ela descontou,ou seja ela fica na mesma com os subsídios de férias e de natal!É isto que está mal no nosso país,uns são filhos outros são enteados!
    • Bruno Ribeiro
      Mas ela vai receber SN e SF? É que eu intepretei que a senhora estava a ser contratada em regime de prestação de serviços e lhe pagavam 14 mensalidades. Das quais ela fará descontos ao abrigo da legislação para as prestações de serviços… Por isso não vejo nada de extraordinário nisto: uma pessoa contratada tem as suas regalias e benefícios e uma pessoa não contratada que trabalhem em regime de prestação de serviços tem outras regalias e benefícios
      • Madalena Gomes
        Isto é o que chama ser BURRO.
  • http://VERGONHA. Ricardo
    Uma pequena vergonha ao lado de outras de 45 mil euros. Evidente que a austeridade só é aplicável a alguns..Já trocam os nomes..prestações suplementares ou complementos ..em vez de dizer subsídios. Mesmo á Português falido , maniento , cheio de tiques e com um futuro idêntico ao de sempre. Como sempre disse e repito , isto nunca terá solução, nem daqui a 1000 ou um milhão de anos.
    • Camoêsas
      É no mínimo interessante que “toda a gente” se preocupe agora com os 40.000 euros que o Catroga irá receber com Administrador de uma sociedade privada, em que são os accionistas a escolher o nome e o montante a pagar a alguém que irá administrar uma das maiores e melhores empresas nacionais (ainda) E NINGUÉM CONSIDERE ESCANDALOSO QUE UMA SIMPLES APRESENTADORA DE TELEVISÃO, COMO A JÚLIA PINHEIRO OU UMA FÁTIMA LOPES, AUFIRAM 50.000 EUROS POR MÊS???!!!!
      Será que a responsabilidade e consequências das decisões tomadas serão as mesmas.
      Naturalmente que não são!!!! Mas não vi manifestações de qualquer ofensa aos trabalhadores nos vencimentos dessas senhoras??!!
  • Maria Deolinda Coelho Soares
    Este governo, afinal é como os outros todos, são todos uns troca tintas e uns betinhos. Será que alguma vez governaram a casa deles? ou tiveram as mamãs, as titias e as vóvós? È que nem sequer têm vergonha!!!

    Afinal os sacrifícios não são para todos? os que melhor estão na vida, não têm de ser penalizados? será que os betinhos sabem o que isso é?

  • smcg
    Uma questão, se produz efeitos a partir de 28 de Junho de 2011 quer dizer que em Novembro de 2011 já recebeu esse suplemento e que neste ano terá de ser novamente publicado outro despacho pois só tem validade de 1 ano ou seja em Novembro de 2012 não recebe… ou estarei a ler mal?
    • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
      Acho que nunca iremos saber os pormenores do mês de Novembro de 2011. Relativamente ao ano de 2012 e 2013 os suplementos estarão suspensos com o aditamento a este despacho que foi publicado no suplemento do diário da república desse dia.
      http://www.arlindovsky.net/2012/01/va-la-que-existem-os-suplementos/
  • rui limeiro
    Alguem se deu ao trabalho de ir ler o resto do artigo do Diário da Républica? É que vem lá bem explicito que durante a vigência do programa de apoio da Troika, os subsídios complementares não se aaplicavam.
    Mostrar esta notícia assim demonstra pouca honestidade intelectual
    • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
      Meu caro. Este post seguiu os acontecimentos do diário da república e colocou de imediato logo que foi publicado o suplemento uma nota no final do post. Se porventura o suplemento foi elaborado depois de sair cá para for a notícia já não te posso garantir.

      Como deverás saber os suplementos não são publicados quando da edição diária do Diário da República.

      Alguém fez borrada e essa borrada foi emendada. Se foi pela denúncia neste e noutros espaços ainda bem que assim foi.

  • nuno
    Os que deviam dar o exemplo são os primeiros a falharem.

    È este o conceito de moralidade em Portugal.

    È triste mas è verdade

  • http://mariahelenaamaro.blogspot.com/ António Sequeira
    Já anularam esta escandaleira… Mas, denota falta de princípios e valores morais tentar aprovar algo deste género. Ou, então é pura incompetência e assessorias jurídicas e financeiras que não sabem o que estão a fazer.
  • Joao Martins
    Porque não se deram ao trabalho de procurar toda a legislação do dia?

    Afinal a senhora não vai receber nenhum subsídio.

    http://dre.pt/pdf2sdip/2012/01/014000001/0000200002.pdf

    • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
      Amigo. Postei essa anulação ainda ontem.
    • adriano ferreira
      A nomeação foi dia 11 de Janeiro e a suspensão dos extras no dia 19. Porquê??? Gato escondido com rabo de fora…
  • yuma
    AFINAL ROUBAR O ESTADO É LEGAL…
  • Tripeiro Inconformado
    Pois, meus Caros, envergonhem-se ainda mais…
    O que talvez não saibam é que hoje mesmo, dia 20, saiu outro “pastel de nata”, publicado em DR . . . http://dre.pt/pdf1sdip/2012/01/01500/0033700341.pdf . . . DL 11/2012 de 20 Janeiro – Artigo 13º – nº 7.
    Este vem da Presidência do Conselho de Ministros.
    Por este andar, só iremos andar para trás (ou para o lado, como o caranguejo).
    • http://www.arlindovsky.net arlindovsky
      Novo post
  • MR
    Nojo, muito nojo!
  • Bia Ferreira
    (RE)LI esta nomeação 3 vezes, pq supostamente estaria com uma crise de “dislexia”. Concluí que estava correta a minha 1ªleitura e seguintes…
    Questiono a razão justificativa da atribuição dos próximos subsídios, férias e de Natal a esta senhora? Houve aluma alteração na função pública, em que exista um macro-sistema e um micro-sistema? não dei por tal! Será que na função pública houve alguma alteração que, por “fotografia” o Governo ou Ministérios têm poder de decisão no que concerne aos subsídios a atribuir? Se assim for envio uma fotode imediato, pode ser que seja uma das sortudas! …Como docente, que exerci funções ao longo de 34 anos “só sei que nada sei!…
  • Tykhead
    Não é novidade … http://www.cm-elvas.pt/apoio_ao_municipe/imagens/concursos_publicos/31_janeiro_2007.pdf

    Despacho 1500/2007 do MCTES … até o nome coincide … mas o governo era outro …

    • Bruno Ribeiro
      E finalmente está explicado: os actuais governantes limitaram-se a reconduzir a mesma pessoa sendo q até estão a usar os seus serviços para duas SE em vez de apenas uma como fazia o Governo anterior… naturalmente que teve de sair primeiro a publicação da recondução e posteriormente a suspensão dos abonos suplementares tendo em conta a situação de excepção actual… Podiam ter saído em simultâneo? Talvez! Mas fica esvaziada a teoria de que esta era uma excepção para um qualquer tacho partidário!
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: