Petição Professores Preteridos

Petição Professores Preteridos  

Para:Ministro da Educação e Ciência

1 – Como é do conhecimento público e sem que nada o fizesse prever, o Ministério da Educação e Ciência alterou os procedimentos da aplicação da lei que regulamenta o concurso de professores, o que resultou numa inversão das colocações, relativamente aos anos anteriores. Habitualmente, nas primeiras Bolsas de Recrutamento havia uma quantidade substancialmente superior de colocações em horários anuais, em contraste com um número significativamente reduzido de horários temporários.
2 – O número de colocações em horários anuais, nas primeiras bolsas, era tão expressivo que um número considerável de docentes concorreu apenas a horários anuais, como era habitual, com uma garantia de colocação, na pior das hipóteses, até à BR4.
3 – Não obstante as circunstâncias excecionais que levaram à existência de um número significativo de professores em Destacamento por Ausência da Componente Lectiva (DACL) e à redução substancial do número de vagas, a alteração da aplicação da lei levou a que os docentes mais graduados, opositores, apenas, aos horários anuais, se vissem ultrapassados na ordenação estabelecida pela DGRHE e não obtivessem a devida colocação a que teriam direito.
4 – Com efeito, a constatação inegável da alteração da plataforma informática que levou as próprias escolas a terem de carregar horários anuais como temporários e noutros casos, a serem carregados como anuais e serem convertidos em mensais, sem qualquer informação prévia no momento do concurso, configura uma situação inaceitável de quem sabia o impacto das alterações produzidas e não alertou em tempo para esta mudança de procedimentos. Não basta argumentar que se está a atuar ao abrigo da lei para justificar a razoabilidade do que aconteceu pois é inequívoco que o Ministério sabia do impacto que as alterações na plataforma iriam provocar.
5 – Em bom rigor, se a aplicação da lei e/ou da plataforma informática não tivessem sido alteradas, os horários temporários, até agora preenchidos, teriam sido, maioritariamente, horários anuais e os restantes é que teriam sido os temporários.
6 – Gerou-se assim, um clima de frustração neste grupo de docentes, por verem goradas as suas legítimas expectativas de não poderem aspirar à colocação a que teriam direito, não fora a alteração operada na plataforma pela DGRHE.
7 – Face à situação criada e no sentido de minorar os efeitos do problema detectado, sugere-se que seja criada a possibilidade de os professores que manifestaram opção pelos horários anuais possam aceder também às vagas temporárias sem interferir com as colocações já efectuadas. Deste modo será reposta alguma equidade, permitindo que os docentes mais graduados não sejam injustamente arredados do sistema de ensino para este ano lectivo.

Se concorda com estes pressupostos, subscreva esta petição.

Os signatários

Penso que não seria necessária uma petição para remediar o que veio a acontecer com uma alteração forçada das regras. O próprio MEC no dia seguinte à BR2 deveria ter permitido que todos os docentes que concorreram apenas a horários anuais pudessem alterar a duração previsível do contrato manifestando interesse nisso.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2011/10/peticao-professores-preteridos/

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Jake on 18 de Outubro de 2011 at 21:55
    • Responder

    Eu fico confusa. Acabo por não perceber se os colegas gostam mais de serem graduados de acordo com os anos de serviço …se de acordo com os asteriscos..
    Mas sim, as regras foram alteradas já nos tempos de descontos. Isso é um facto.
    Por outro lado, julgo que é preciso ter-se andado muitíssimo distraído para não se colocar a hipótese de não se ser colocado este ano. Eu sei, andou-se a trabalhar no asterisco e não sobrou tempo para ir vendo alguma tv, ler um ou outro jornal e acompanhar um ou outro blog.

    • jake on 18 de Outubro de 2011 at 21:58
    • Responder

    E não se contou com a falta de cálcio para os ovos que saem pelas galinhas.

    • Miguel Castro on 18 de Outubro de 2011 at 22:39
    • Responder

    A Jake deve estar a brincar, de certeza… a questão não se coloca com “não se colocar a hipótese de não se ser colocado este ano (…) ou acompanhar um ou outro bolg.”.
    Isso aconteceu efectivamente pelas trafulhices que foram feitas. Houve também menos horários disponíveis, é certo, mas isso não invalida a trafulhice que foi feita.

    É inadmissível que haja contratados no topo da lista graduada que fiquem de fora e sejam ultrapassados derivado às trafulhices e não porque andaram distraídos ou não tivessem colocado a hipótese de ficar de fora.

    Obivamente que esta petição não vai ser assinada poir muita gente, visto que o número de pessoas que ganha com isto (ao nível dos contratados) é muito superior àquele que perde.

    • Lara on 18 de Outubro de 2011 at 22:54
    • Responder

    Concordo com o Miguel Castro! O que o MEC fez este ano não se faz! Uma falta de respeito!

    • jake on 18 de Outubro de 2011 at 23:42
    • Responder

    @Miguel:
    eu fiz a devida ressalva que houve mudança de regras já no período de descontos.
    Trafulhices? Como ? Quais? ( TEIP’s?- já ~têm para aí uns 3 ou 4 anos as manhisices nox critérios) .
    Mas, se houve trafulhice, a questão que importa colocar é: por que razão o ME optou por colocar gente menos experiente ( transformando anuais em temporários) em detrimento dos mais graduados?

    Pessoalmente, como contratada, aprendi já há uns 4 ou 5 anos a nunca deixar de pôr os temporários. Saiu-me o tiro pela culatra para aí em 2005 ou 2006.
    Sou uma pessimista. Conto sp com os piores cenários e, desde MLR, percebi que na Educação, o que é agora, amanhã já não é. Percebi que o ME passou a agir de má fé e que não teve durante 6 anos a mínima hesitação em virar tudo de pernas para o ar de um momento para o outro.

    Continuo a achar que muita gente andou extremamente distraída. Tão distraída que, há poucos meses atrás ( 1 ano, 9 meses?) havia quem achasse que o MB seria decisivo para “entrada nos quadros”.

    E andou tudo muito entretido a caçar asteriscos, enquanto esta merda afundava e, já se sabia, quando fosse a pique, os contratados eram os primeiros a ir ao fundo.
    Mas andaram todos: os contratados, os sindicatos, os contratados graduadíssimos e os contratados ainda de babete. Assim como os relatores e as feiras de vaidades.

    Cansei-me, desgastei-me, fiquei isolada. Não darei mais para peditórios de ninguém. Nem para o meu, que eu não peço porra nenhuma a ninguém.

    • Pedro Teixeira on 19 de Outubro de 2011 at 0:25
    • Responder

    Espero que não precise de nenhum peditório jake…

    Força aí nesse “orgulhosamente só”!

    Boa sorte para a vida…

    • Miguel Castro on 19 de Outubro de 2011 at 1:30
    • Responder

    @Jake

    Esta frase: “Mas, se houve trafulhice, a questão que importa colocar é: por que razão o ME optou por colocar gente menos experiente ( transformando anuais em temporários) em detrimento dos mais graduados?”

    Demonstra que a Jake anda um bocadinho a leste… o MEC não optou por colocar gente menos experiente. Para eles é indiferente colocar mais ou menos experientes, desde que não paguem o Agosto e Julho é o que verdadeiramente lhes interessa. Foi essa a única motivação que levou a esta trafulhice toda.

    • Jake on 19 de Outubro de 2011 at 9:31
    • Responder

    @Miguel
    Bom dia Miguel.
    “(..) para eles é indiferente colocar mais ou menos experientes(..)Agosto e Julho”.

    Sim, certo.
    O golpe foi a tentativa, bem sucedida aliás, de coar os anuais e completos dos temporários. O que interessou eliminar (e vai continuar a interessar) é a questão do “anual”.
    Atrevo-me a dizer que para o ano, no concurso, as parcas ofertas que houver serão todas temporárias. Se é anual ou não, será a Escola a dizer ao candidato.

    @Pedro
    Não sei se é orgulhosamente. Mas que me sinto só há muuuuito tempo, isso não duvide.
    Sabe Pedro, os asteriscos são uma boa razão para me sentir só há tanto tempo.
    E ainda vamos ver o que vão fazer com eles no concurso de 2012.
    Mas com esta confusão toda, pode ser que alguns fiquem anulados pelo efeito da não colocação deste ano.
    De certa forma, repõe-se o que nunca deveria ter deixado de ser: a velhinha lista de graduação em que para se ter 1 ano de serviço se tinha que trabalhar 1 ano inteiro sem duas aulas rococós para relatores inchados de prosápia assistirem e cagarem sentenças.

    • Ana Sofia on 19 de Outubro de 2011 at 13:30
    • Responder

    Jake,
    Tem toda a razão!!! Enquanto andaram entretidos à caça do MB e do xalente o ME fez-nos a cama! Agora que o céu desabou mesmo é que deram conta! Tb sinto na pele os efeitos desta situação desgraçada, pois tenho 17 anos de serviço, sou contratada e fiquei num horário de 13h longe de casa. Mas como a Jake, e como acho que “seguro morreu de velho” concorri para tudo quanto era horário, de tds os tipos, anuais, temporários, e alguns bem longe. Nunca fiando nesta gentalha que nos (des)governa!
    Tb me sinto só, entre os contratados, das escolas em que estive, pq, graças a Deus, sempre soube manter a minha coerência e integridade, por isso nunca corri atrás dos asteriscos! Mas vi gente prestar-se a papéis, que Deus me livre. Só faltou lamberem o cú ao diretor! Muita desta gente que agora reclama e se revolta não tem coluna vertebral!
    Desculpem estes desabafos, mas já vi tanta coisa que às vezes até me custa crer que venham de gente que se diz professor!

    • jake on 19 de Outubro de 2011 at 18:40
    • Responder

    Ana Sofia,
    pois. é isso tudo. Junte-se a mim na solidão. E um abraço solidário com tão trsite sina e tão grande castigo pelas opções que se vão tomando na vida sem atestados, DCE (quando eram dados pq os filhos tinham os dentes tortos), etc.
    A integridade, a honestidade e o não concorrer para onde não se queria ficar, devem ter-lhe saído tão caras a si como a mim, ao longo dos anos.
    Valeu-nos de um grosso ( desculpe a expressão).

    Só que eu acho que o que aconteceu este ano ainda não foi o céu a desabar. Foi ainda só para aí um quarto do céu. Para o ano, dasabam 2/4. Ficará, para peça museológica, 1/4 de céu…lá em cima penduradinho …para quem calhar.
    E se essa quarta parte do céu for por contratação direta pelas Escolas…Olhe, acione as cunhas. 🙂
    Boa sorte!

    • Ana Sofia on 19 de Outubro de 2011 at 23:05
    • Responder

    A honestidade e a frontalidade sempre me trouxeram disssabores, mas fazem-me ter a consciência tranquila e a cabeça bem direita. Para o ano não terei colocação, provavelmente, pois com os boatos que por aí correm sobre os cortes ’tou feita! Mas é preciso é saúde!
    Quanto a cunhas… vai ser o salve-se quem puder!
    Boa sorte tb para si!

    • Ana on 19 de Outubro de 2011 at 23:12
    • Responder

    Jake,
    O nunca ter corrido atrás do asterisco confere.me legitimidade para lhe dizer o seguinte: é graças aos caçadores de asteriscos e a pessoas como você que os professores estão nesta situação.
    Estou em casa porque pela 1ª vez em 11 anos decidi colocar só anuais, acima de tudo por saber que estava reconduzida.
    Fui imprudente, pois ouve alguém que não gostava da escola onde estava, a escola deu.lhe possibilidade de concorrer como DACL e ela ocupou o lugar que eu, ingenuamente, achei que seria meu.
    O meu espanto foi que na 1ª semana de Setembro a escola de onde saiu o DACL, lançou em CE o horário que tinha sido deixado vago pela pessoa que ocupou o meu lugar. Concorri Claro! Entrou um candidato 2118 lugares atrás de mim. FRUSTRAÇÂO!! era muito azar. Nova CE, concorri ficou um candidato colocado 5200… (cinco mil e tal) lugares abaixo de mim. e muito mais lhe poderia contar só deste ano…
    Perdoo tudo porque estes candidatos devem ser muito mais competentes do que eu… Só podem para escalarem assim lugares…
    Pois é por haver pessoas que só olham para o seu umbigo que isto pode acontecer.
    Espero que conserve sempre esse seu excelente BOM SENSO e mantenha a SORTE que TEM.

      • Ana on 19 de Outubro de 2011 at 23:14
      • Responder

      Obviamente que onde se lê ouve deve Ler.se HOUVE.

    • Jake on 20 de Outubro de 2011 at 19:54
    • Responder

    @Ana
    Não percebi bem onde é que eu contribuí para a sua situação, Ana. A sério.

    Esta parte – “Estou em casa porque pela 1ª vez em 11 anos decidi colocar só anuais, acima de tudo por saber que estava reconduzida.”

    Eu tinha para aí 90% de chances de ser reconduzida. E fui. Mas, não confiei no ME – cheguei a duvidar que houvesse reconduções em determinada altura. Não contei com ela. Sabia dos DACL´s, suspeitava que haveria gente das DRE´s que levariam um tombo para regressarem às Escolas e pensei: se esta gente toda quiser o “meu” lugar, eu danço. A minha Escola, leia-se o meu CE, tb me disse: “nós sabemos lá se alguém quer vir para cá.”.

    Concorri a tudo, dentro das que são as minhas opções nos concursos.
    Só à minha escola foram parar 3 recambiados da DRE que me assiste.

    Volto a dizer que as regras foram mudadas já em período de descontos- a mafiosice de espremer os horários até à última gota para erradicar os “anuais”.
    ( é a 3ª vez que o afirmo).
    Vão-me desculpar, mas continuo a achar ( e neste caso já somos 3 insuspeitas que não andaram feitas malucas atràs dos asteriscos e que, se calhar, até ficámos mal vistas onde estávamos por isso) que, por um motivo ou por outro, houve desatenção ( descontando a mafiosice nas BR) geral ao quadro que se desenhava no País e , particularmente, no ME.

    Quando eu ouvia aquelas alminhas dos asteriscos a falarem em “entrar nos quadros” em 2012, eu só pensava com os meus botões, para não lhes chamar anjinhos ou pior: esquece, não vale a pena, não ligues, desliga, desliga, desliga.

    Até pq, pensemos assim:
    Por um milagre qq, eles decidem meter nos quadros os tais com + 10 anos de serviço. Como seria o cálculo do reposicionamento de muitos? Qts de nós não estariam em condições de entrar diretamente acima do 1º escalão?
    Eu não sei. Mas se calhar, não seríamos tão pouco como isso.
    E depois penso: então eles querem chegar ao ponto de “despedir” quadros e vão “meter” novos quadros? Mas já penso que será assim há para aí uns 2 ou 3 anos.
    Se calhar, penso muito, Sei lá eu! 🙂
    Vá, abraço, tudo de bom. Por outro lado, como já disse lá em cima, os asteriscos de babete e de cueiros no rabo, ainda são uma aresta para limar em 2012-2013.
    E, mais uma vez, algumas de nós ( tansas e sei lá o q mais) vão ser papadas. Ou não. Por mim, dava 50 euros aos asteriscos de 2010/2011 e resolvia o assunto. Era o que eu faria se fosse o NC.
    Keep Cool 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: